Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Investir na bolsa ou investir num negócio?

As opções de investimento são sempre imensas, por isso convêm analizar muito bem onde vamos investir as poupanças ou o dinheiro que dispomos. O investimento é a forma de multiplicar as poupanças (adiando o consumo) por isso qualquer pessoa deve pensar um pouco o que fazer, de  acordo com o seu perfil de investimento, de investidor ou o tipo e quantidade de risco que está disposto a enfrentar.

Nunca podemos esquecer que a rendibilidade está associada ao risco, quanto mais se quer ganhar, mais se pode perder. Esta é uma boa forma de introduzir a questão: investir nos mercados financeiros ou investir num pequeno negócio? Existem semelhanças e diferenças nestas duas formas de realizar investimentos, bem como vantagens e desvantagens.

Semelhanças

Nas duas alternativas estamos a investir em negócios empresariais ou seja, estamos a investir em empresas. Seja em bolsa através da aquisição de uma participação no capital social da empresa ou num pequeno negócio realizando o totalidade do capital, existem sempre riscos associado e se na bolsa existe a volatilidade para medir esse risco, o risco associado a pequenos negócios é mais difícil de calcular.

Para se ter sucesso é necessário dedicação ao investimento, seja a bolsa ou um negócio. É necessário um acompanhamento diário, de modo a poder actuar de forma a maximizar os proveitos financeiros. Investir sem acompanhar os investimentos apenas se a aplicação do capital ocorrer em produtos “com baixo risco”, como certificados do tesouro, depósitos a prazo ou fundos de investimento conservadores.

Ambos necessitam de estudo e experimentação até atingir um rumo satisfatório, não se começa e investir na bolsa de um dia para o outro, nem se cria um negócio de hoje para amanhã, teoricamente. Deve haver um período de aquisição de competências, de estudo do mercado e da estratégia de investimento a seguir ou negócio a criar.

Diferenças

Ao investir na bolsa estamos a investir em empresas onde não temos (pequenos investidores) qualquer influência na gestão, na distribuição de dividendos ou no plano de investimento da empresa para o futuro. Estamos à mercê da especulação, de notícias, de rumores, enfim de todas as formas que fazem variar o valor da cotação das acções. Uma das ferramentas para poder triunfar nestes mercados chama-se análise técnica se bem a actuação em bolsa possa ser feita com base na análise fundamental.

Por seu lado ao investir num negócio próprio ou num pequeno negócio, temos a gestão do negócio nas nossas mãos, com os prós e contras que acarreta, mas a verdade é que regra geral somos nós que decidimos. Conhecimentos de gestão de empresas podem fazer muita falta, contudo muitos empreendedores de sucesso criaram o seu próprio conhecimento e mesmo sem grandes estudos construíram grandes impérios.

Vantagens

O acto de investir na bolsa é totalmente desmaterializado, podendo investir-se a partir de casa com recurso a uma conta de corretagem, ligação à internet e uma computador. Pode investir-se no conforto do lar e também não pressupõe contacto humano, o que pode ser visto como um benefício, lidar com pessoas nem sempre é fácil 🙁

Com as novas plataformas de investimento, podem dar-se ordens de compra ou venda através de SmartPhone, o que permite investir em qualquer lugar.

As vantagens de possuir ou criar uma empresa são diversas, pode encontrar  aqui

Desvantagens

Investir na bolsa pode ser uma exercício solitário, e um desastre financeiro para os menos preparados, seja pela falta de conhecimentos ou por questões psicológicas que afectam as decisões no que diz respeito aos mercados.

Gerir e lidar com pessoas pode ser uma problema mas há mais variáveis nesta equação. Pode ler as desvantagens de montar uma empresa aqui

Os mais ricos do mundo

Uma ideia para encontrar qual a melhor forma de investir, será analisar como conquistaram as suas fortunas as pessoas mais ricos do mundo. Lista dos Bilionários da Forbes

Podemos facilmente perceber que as maiores fortunas do mundo tiveram origem em negócios, em empresas de que os bilionários são proprietários ou fundadores. A excepção é Warrent Buffett, considerado o maior investidor do mundo, que utiliza a Berkshire Hathaway como veículo ou ponto de partida dos seus investimentos em bolsa.

As pessoas mais ricas em Portugal não fogem a esta regra e têm por trás de si, grupos empresariais sobejamente conhecidos por todos, excluído 2 ou 3 investidores de bolsa.

Opinião pessoal

Cada vez me convenço mais que investir na bolsa não permite enriquecer, através do investimento de longo prazo (actualmente), para se ganhar na bolsa tem de se investir no curto prazo, e para isso ocorrer com sucesso terá de se investir com recurso à análise técnica. Assim e como não pretendo estar todo o dia a olhar para gráficos, agrada-me mais a opção de investir num negócio, no meu negócio. Assim sendo estou também a investir em mim e no que gosto.

Eu também gosto de investir na bolsa, mas num óptica de médio/longo prazo, contudo ainda não possuo património para enfrentar grandes desvalorizações durante muito tempo. Foi mesmo por isso que saí da bolsa há uns meses a esta parte.

Comentários

  1. anon diz:

    Nao conheco nenhum analista tecnico que seja rico. a unica forma de enriquecer no mercado de capitais e atraves de investimentos de longo prazo. o mercado paga muito bem a quem tem paciencia para esperar pelo momento certo para comprar quando os outros estao a vender e a quem tem estomago para aguentar a volatilidade

    • Nuno diz:

      Olá
      Eu também gostava de pensar assim, contudo basta olhar para a bolsa portuguesa, para mudar de ideias! Quem investiu na bolsa nos últimos anos, só que consiga recuperar as perdas já se pode dar por feliz.

      Exemplos:

      Quem investiu na Martifer: IPO: 8 Euros, cotação actual 55 centimos
      Quem investiu no BCP: perdeu 10 a 20 vezes o valor em Bolsa (e a banca em geral)
      Quem investiu na EDP renováveis: perdeu 75% do seu investimento
      Quem investiu na Sonae Indústria: perdas astronómicas também
      Quem investiu na Zon, perdas consideráveis
      Quem investiu na Brisa ganhou menos valias

      Isto só para dar alguns exemplos, vai demorar muito tempo até se conseguir recuperar das perdas do últimos anos. Pois poucas são as empresas que conseguiram manter o seu valor.

      Rendibilidades passadas não são garantia de rendibilidades futuras, o mesmo se pode aplicar às estratégias de investimento: estratégias de investimento com sucesso no passado não são garantia de sucesso futuro.

      http://investidor.pt/rentabilidades-passadas-nao-sao-garantia-de-rentabilidades-futuras/

      Os mercados formam-se e existem porque existem pessoas com perspectivas diferentes 😉
      Quando uns compram, outros vendem

      Votos de sucesso

      • Ricardo Moreira diz:

        Caro amigo, investir às cegas é o que dá, não falo de análise técnica mas sim de uma análise ao motor do valor das acções, lucro, património líquido, endividamento, activos e fluxo de caixa da empresa, só assim e determinando a solidez da empresa podemos fazer uma análise, pois de facto em 2008 houve um dos maiores quebras de bolsa desde 1929, mas de facto era previsível, bastava olhar para a maioria das empresas sobrevalorizadas, caso do BCP com um passivo gigantesco tinha uma cotação em bolsa totalmente irrealista para o número de acções que possui.
        Fluxo de caixa e redução de passivo são os grandes motores para manter o avião a voar.

        Obrigado e bons negócios

        • Nuno diz:

          Olá Ricardo Moreira

          Agradeço o seu comentário.
          Eu invisto na bolsa com alguma análise 🙂
          http://investidor.pt/analises-possiveis-para-tomar-decisoes-no-investimento-em-bolsa/

          Eu saí da bolsa, desinvesti. Investi noutros activos. Mas quando tiver disponibilidades, volto a investir na bolsa portuguesa.

          Não gosto de falar das minhas operações em bolsa, mas hoje vou dar 2 exemplos:

          Da lista de exemplos que referi, apenas tive perdas consideráveis na SONAE indústria. As menos valias que obtive no BCP quando desinvesti não são 10% dos ganhos que já obtive com esse título 😉

          Umas vezes ganha-se, outras perder-se
          Votos de sucesso

  2. anon diz:

    ha mais de dez anos que invisto no mercado de capitais, e so apenas em um perdi dinheiro, tendo mais que duplicado o valor dos investimentos nos dois anos seguintes. nao faco mais do que duas ou tres operacoes por ano. a diferenca e que eu sei o que estou a fazer, tenho uma lista de accoes que quero comprar, e so tomo posicoes quando o mercado todo esta a vender. e tenho alguns familiares que, nao sabendo investir, mantem carteiras diversificadas, com menos retorno e certo, mas tambem com menos stresses do que aqueles que teriam se estivessem a investir em accoes como as que refere. o problema que refere nao e do mercado portugues, mas sim da falta de conhecimentos e de rigor dos investidores. basta ver a quantidade de patos que foram entalados recentemente na facebook.

  3. anon diz:

    e repare que eu nao tenho nada contra a criacao de negocios, tambem sou empresario. mas e importante ter presente que tal como nos mercados de capitais ha 80 pct de investidores com maus resultados, tambem no mundo empresarial 80 pct das empresas nao sobrevive ou tem resultados mediocres. criar uma grande empresa ou ser bem sucedido no mercado de capitais sao feitos extraordinarios que exigem alguma inteligencia, muito trabalho, uma disciplina extraordinaria e tambem um pouco de sorte. pf nao entenda estes meus comentarios como um ataque, estava apenas a querer dar uma critica construtiva. bom trabalho

    • Nuno diz:

      Olá Anon

      Agradeço os seus comentários e concordo consigo

      Reparei hoje que não deixei feedback 🙁

      Sejam negócios ou investimentos, ambos requerem estudo. Investir sem analisar é como jogar no Euromilhões, é pura sorte ou azar

      Votos de sucesso