Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

9 razões para não abrir uma empresa

Todos os assuntos têm vários pontos de vista, na criação de um empresa também os existem. Muito boa gente prefere ser funcionário a ser patrão, e  têm as suas razões. Ora estas mesmas razões para preferir ser empregado são as razões que são precisamente o contrário dos motivos que levam as pessoas a resistir à tentação de criarem a sua própria empresa.

Rendimentos Constantes

O facto de ter um salário todos os meses confere um estabilidade financeira, pois sabe-se e conta-se com o dinheiro no dia dos pagamentos dos salários, assim é possível fazer um planeamento dos gastos mensais. De 30 em 30 dias existe uma injecção de capital. Existe também a considerar neste tópico, as regalias por ser trabalhador por conta de outrem: subsidio de férias, subsidio de Natal e as os dias de Férias a que se tem direito. No caso de despedimento sem justa causa, ainda se tem direito a uma indemnização correspondente ao tempo trabalhado.

Protecção social

Do ponto de vista da protecção social o trabalhador por conta de outrem usufrui de descriminação positiva face a empresários, já que goza de protecção em caso de desemprego involuntário com o respectivo Subsidio de desemprego, algo que está vedado a trabalhadores por conta própria. Se estes fecharem o seu negócio, não têm direito a ajudas do Estado. Ficando deste modo desamparados.

Vida social

Não ter preocupações é meio caminho andado para poder possuir uma vida social mais equilibrada, ter horários de entrada e saída facilita a marcação de encontros durante a semana e para além de usufruir de vários e diferentes convívios no fim de semana ou dias de folga.

Descomprometimento com a actividade da empresa

É comum cada um concentrar-se no seu trabalho, os seus objectivos e os do grupo que pertence e saber pouco mais sobre as actividades globais da empresa.  Claro está que dependerá da dimensão da organização, mas é normal um vendedor não saber nem ter acesso aos indicadores da empresa, sejam peças financeiras ou até mesmo os objectivos globais da empresa. Quando os sabe, resume-se quase sempre aos lucros ou volume de vendas. Quando se está de férias normalmente não se pensa muito no emprego, mas há excepções. Quantos funcionários sabem qual é a dívida (passivo) de empresa onde trabalha?

Produtividade

Apesar de por vezes existirem prémios de desempenho, a verdade é que a pressão é menor, neste capitulo dependerá muito da função, do cargo desempenhado e das condições proporcionadas ao trabalhador. Mas regra geral é um factor muito desprezado. Como exemplo: um pessoa que trabalhe numa caixa de supermercado, quer é que não tenha de atender muitos clientes, pois não recebe mais nada pelo sua destreza. A pressão existe, mas é só para não ser despedida. Se existisse um prémio de 0,001 do valor facturado,  a função teria uma produtividade muito maior, provavelmente.

Acesso a benefícios

As empresas tendem a valorizar os seus trabalhadores, assim e para os motivar tendem a estabelecer objectivos ou cargos que conferem ter acesso a benefícios. Estamos a falar de complementos ao salário:  viaturas de serviço ou para uso pessoal, distribuição de resultados, telemóveis com chamadas pagas e computadores e acesso à internet, vestuário (fardas e não só), viagens, formação, seguro de saúde, etc

Para o aumento da qualidade de vida dos trabalhadores ainda se pode oferecer acesso a serviços no local de trabalho: ginásios, salas de convívio, restaurantes/cantinas e outros serviços úteis.

Menor pressão

O trabalho está definido e estruturado, assim as tarefas correspondem ao que se espera, na maioria das vezes existe apenas a pressão sobre resultados na área comercial e pressão sobre a assiduidade e pontualidade. Mesmo que haja pressão será sempre pequena comparativamente à pressão de gerir um empresa.

Horários de trabalho

Apesar de ser cada vez mais raro estanquicidade no horário de trabalho, existem ainda muitos empregos onde se sabe e cumpre um horário rigoroso,  é o que se costuma chamar cumprir calendário, por vezes mesmo antes de se picar o ponto o pessoal faz fila na respectiva máquina!

Não investe dinheiro

A verdade é esta : se não investe não ganha , mas também não perde. Os riscos estão do lado da entidade empregadora, é esta que tem a missão de produzir receitas para cobrir custos e gerar lucros para os detentores do capital da mesma.  Apesar do trabalhador ter interesse na empresa pelo seu posto, os detentores da mesma têm muito mais já que é o seu dinheiro que está em jogo.

Pessoalmente considero uma óptima ideia criar a própria empresa. Consensual é que existirá sempre pessoas a trabalhar para outros, pois alguém tem de fazer as coisas.