Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

3 factores para decidir rápido sobre uma ideia de negócio

planearAntes de escrever um artigo sobre como avaliar ideias de negócio, gostaria de referir 3 factores que analiso para formar uma opinião sobre uma ideia de negócio ou até mesmo negócios já em laboração.

Dá para ter uma ideia aproximada, mas, claro que fazer assim a avaliação origina resultados pouco ou nada sustentados e muitos erros. Contudo, poderão ser considerados uma directriz e são eles o produto, lucro e investimento.

 Produto/serviço

A parte mais subjectiva, pois depende da visão e perspectivas de cada um. Sabendo as características do bem, consegue-se visualizar mais ou menos a concorrência, clientes e até preço que pode ser praticado. Nunca deve perder de vista os factores como: utilidade e design ou conceito.

 A base para fazer esta mini abordagem é a vivência e experiência de cada um.  Neste capítulo existem muitos erros, pois o senso comum nem sempre é bom conselheiro nos negócios.

Investimento

O investimento é o factor primordial, se uma ideia de negócio requer muito investimento, deixa de ser interessante para mim, gosto de pequenos negócios apesar de pensar em grande. Os negócios para mim tem de começar pequenos e depois possibilitarem o seu crescimento. Claro que tudo depende do dinheiro que se tem e do risco que se está disposto a correr.  Temos que saber até onde podemos ir. Pois não vá alguma coisa falhar e depois ficamos sem nada.

Nota: para obter financiamento são quase sempre necessárias garantias, são essas garantias que se acionadas podem provocar uma quebra no património pessoal.

Quanto é que eu ganho

Essa é a parte mais difícil de saber, contudo não é preciso saber muito de matemática para fazer umas contas e ver se a ideia tem pernas para andar.

Quais é que são os custos, é logo a primeira parcela desta equação. Depois de saber os custos divide-se pela margem unitária (diferença  entre o custo de compra e custo de venda) de cada produto. Ficamos a saber qual é a quantidade que é necessária ser vendida para esse período temporal. Chama-se o ponto de equilíbrio das vendas. Este é o ponto onde não se ganha nem se perde. A próxima questão é: será que conseguimos vender mais que essa quantidade para ser rentável?

Σ Custos: (preço dos produtos – custo dos produtos)= quantidade das mínima de vendas

 Σ = somatório de todos os custos (activo, serviços, recursos humanos, etc). Não sei se fui muito claro mas nestes cálculos, são até bastante simples.

Exemplos

Quando surgiu o smartadvertising e vi logo que o modelo de negócio era um fracasso (conforme se veio a revelar), comentei logo que só aderiam a esse tipo de serviços quem não soubesse fazer contas, pois o aluguer do carro com Publicidade ficava pelo dobro do valor, se adquirisse o veiculo. A empresa comprava o carro e cedia-o aos funcionários. Era um 2 em 1, e ainda poupava dinheiro! (só esta análise dá per si um artigo)

Redes sociais, ainda hoje não estou bem convencido sobre esse negócio. Quando surgiu o Twitter, o Facebook ,nunca daria nada por este tipo de negócio.  Apesar de hoje as provas serem mais do que evidentes, pois são autênticas fabricas de milionários.

Nota: O risco nem sequer foi abordado! O risco é um factor fundamental para a tomada de qualquer decisão de investimento.

Evidentemente que não se tomam decisões baseadas apenas nestes factores nem de forma tão simplificada, mas para ter uma conversa ou uma ideia geral sobre uma ideia de negócio ou actividade, penso que pode ser uma boa ajuda. Até porque existem negócios sobre os quais provavelmente nunca se tinha pensado.

 Para tomar decisões financeiras de forma mais acertada, tem que se calcular: TIR, IR, VLA (ou VAL), Payback, entre outros.

Comentários

Os comentários deste artigo estão fechados.