Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Risco versus rendibilidade

O risco está para a rendibilidade como os ovos estão para as omeletes. Sem um é impossível conseguir o outro. Esta noção básica dos investimentos diz-nos que quanto mais se arrisca (mais risco) maiores são as probabilidades de obter rendibilidades mais elevadas.  Só não existem certezas.

Quem não arrisca não petisca é um provérbio popular que nos diz isso mesmo. Se não existe exposição ao risco, os ganhos são diminutos. Muitas das vezes os produtos ditos de “capital garantido” como os depósitos a prazo, remuneram o capital investidor com taxas pouco superiores à taxa de inflação, produzindo um ganho mínimo, pois nunca podemos esquecer que: Taxa de juro – Taxa de inflação = Valor real de valorização ou aumento da capacidade de consumo efectiva.  A rendibilidade real que permite o aumento do poder de compra.

Risco

Risco = Perigo. Existem muitos tipos de riscos! O risco está associado à incerteza e ao desconhecido, já aqui foi abordado por diversas vezes (tipos de riscos e como escolher investimentos) , talvez um dos riscos que esteja em falta seja o do desconhecimento do decisor do investimento. Ter conhecimento dos riscos que se enfrentam reduz em muito a dificuldade para tomar decisões. Uma coisa é investir sem ter a mínima ideia do que pode acontecer enquanto que conhecer os riscos consciencializa  o investidor do que pode acontecer.

Rendibilidade

Rendibilidade = capacidade para produzir valor. A rendibilidade é geralmente medida em valores percentuais do investimento, e relaciona o retorno produzido por determinado investimento. Um artigo que pode ser interessante para complementar esta informação é o retorno do investimento.

Rendibilidade ou rentabilidade são sinónimos pois designam o mesmo. A forma mais correcta de dizer e escrever é rendibilidade,  apesar de rentabilidade ser a mais utilizada.

Rendimento versus inflação

Um dos conceitos que importa perceber é precisamente o de inflação, para poder decidir sobre os potenciais investimentos a realizar. A inflação reduz o rendimento líquido.

Quando trocamos a liquidez, disponibilidade de dinheiro imediata e investimos estamos a trocar poder de compra actual por poder de compra futuro, é isso que motiva o próprio investimento. Trocar o consumo actual pelo consumo futuro só é compensado em parte pela possibilidade de consumir o mesmo e ainda obter um valor de ganho. Rendibilidade pela utilização do capital.

Comentários

Os comentários deste artigo estão fechados.