Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Quem manda na internet e condiciona o sucesso

Quando se pretende investir na internet deve estar claro que o sucesso é equivalente a ter visitantes. Um site sem visitantes é como se não existisse. Assim o poder está onde estão as pessoas. Neste capítulo não é muito difícil perceber que o site com maior número de visitantes é o rei e tem o poder de influenciar esses mesmos visitantes.

O Google é o maior

Na realidade não existe, ainda, ninguém capaz de fazer concorrência ao Google pois apresenta uma estratégia vencedora desde a sua criação. Menosprezar o seu poder de conduzir visitantes para lugares na internet é pouco inteligente. As pessoas procuram informação ou produtos. O Google apresenta os melhores resultados para satisfazer essa necessidade. Por isso os empreendedores online ou proprietários de negócios sabem que têm de respeitar um conjunto de regras para poder constar no seu índice e assim receberem muitos visitantes através dos resultados das pesquisas.

Existem outros motores de pesquisa

Mesmo antes do Google existir já havia motores de pesquisa, mas como não eram tão eficazes, não apresentavam os resultados mais relevantes, acabaram por morrer sendo exemplo disso o altavista.com.

Actualmente temos as seguintes alternativas ao Google:

  • Sapo.pt (motor de pesquisa português criado na Universidade de Aveiro)
  • Bing.com (motor de pesquisa da Microsoft)
  • wolframalpha.com ( pesquisa de conhecimento)
  • Yahoo.com ( O portal vai adoptar o bing.com, deixando também de existir)
  • Ask (um motor de busca pouco conhecido)

Alguns destes sites também podem enviar um número significativo de visitantes para um site de acordo com a sua quota de mercado das pesquisas online.

Formas de tráfego alternativo

Existem muitas outras formas de conseguir visitantes num site, seja através de referências em outros sites, através do acesso directo ao site, sites de video, de redes sociais, marketing de afiliados, campanhas de publicidade, etc. A questão não são propriamente as fontes de tráfego, mas sim o que é necessário fazer para as construir. Nos motores de pesquisa, pouco mais é preciso do que existir (não é bem assim, mas é quase).

Publicidade

A grande diferença é que estas alternativas custam dinheiro ou tempo. Se na publicidade é fácil compreender que envolve um custo financeiro, onde os resultados são imediatos, visitantes na medida do dinheiro que estamos dispostos a investir, outros casos também podem ter um custo financeiro elevado pela afectação de recursos à tarefa.

As outras formas necessitam de tempo, para um site fazer reverência a outro, primeiro é necessário saber da sua existência, se o site não aparece nos resultados das pesquisas nem se investe em publicidade provavelmente ninguém irá saber da sua existência. Existem milhões de sites!

Redes sociais

As redes sociais podem ser uma alternativa para encontrar os valiosos visitantes, claro que construir uma comunidade não acontece de um dia para o outro. Os utilizadores das redes sociais também são um público bastante restrito. As redes sociais são um grande paradigma, pois tão depressa estão em alta e são o melhor como depois deixam de existir com a mesma velocidade. Lembro-me de um caso recente, ainda alguém se lembra do SecondLife? Todo o investimento das empresas nesse conceito se transformou em fumo.

Claro que existem sempre excepções, e aqui e ali surgem sites que assumem um posição de destaque sem que ninguém o consiga prever, especialmente os mais originais ou que consigam implementar uma campanha de Marketing viral com sucesso ou mesmo através do factor sorte.

Para concluir, o sucesso é medido em termos de visitantes. Transportando e fazendo uma comparação com o mundo real dos negócios, será mais ou menos como ter uma loja numa rua muito movimentada, as pessoas passarem à porta mas se não entrarem nunca conseguirá fazer um venda. Ter um site é igualzinho.

Comentários

Os comentários deste artigo estão fechados.