Prós e contras do arrendamento habitacional

O arrendamento de imóveis para habitação envolve vários riscos, o que salta à primeira vista é o incumprimento no pagamento das rendas, mas não é o único. À vista desarmada pode parecer que o arrendamento habitacional seja um bom negócio para senhorios ou proprietários mas efectivamente para o ser é necessário que vários factores estarem alinhados.

Nada melhor que expor as vantagens e desvantagens para os intervenientes neste negócio.

Vantagens do arrendamento para proprietários

  • Rendas mensais
  • Possibilidade de construção de património
  • Independência financeira
  • Paga as prestações do crédito habitação (caso tenha)

Vantagens do arrendamento para arrendatários

  • Mobilidade geográfica
  • Não paga quotas de condomínio
  • Não paga impostos sobre os imóveis
  • Não fica endividado (em caso de aquisição através de crédito)

Desvantagens do arrendamento para proprietários

  • Elevada carga fiscal sobre receitas vindas de arrendamento (IRS)
  • Risco de incumprimento no pagamento das rendas
  • Morosidade nas acções de despejo
  • Deterioração do imóvel perante o uso ( descuidado)

Desvantagens do arrendamento para arrendatários

  • Paga por algo que nunca será seu
  • Pode pagar um valor superior ao que pagaria se comprasse o imóvel
  • Não constrói património

Para o negócio do arrendamento ser vantajoso a nível fiscal o proprietário deverá possuir uma empresa com a titularidade desse mesmo imóvel, pois a carga fiscal será menor, com um máximo de 25% enquanto que em fonte de IRS, pode chegar aos 42%, com as deduções ao serem similares, mas tendo sempre vantagem o Imposto sobre Pessoas Colectivas, até porque se podem deduzir despesas não relacionadas com o imóvel nos seus rendimentos, imaginando que era a única fonte de rendimento dessa empresa.

Um outro problema que pode retrair muitos proprietários de colocarem seus imóveis no mercado de arrendamento é as despesas incorrentes do uso do imóvel, pois o imóvel será menos estimado comparativamente ao uso efectuado pelos próprios proprietários, como por exemplo: furos para colocação de quadros são feitos sem olhar aos danos que pode provocar no imóvel, casas de banho e cozinhas são os principais fontes de problemas.

Pagamento e recebimento das rendas

O pagamento das rendas deveria ser uma obrigação para os arrendatários, infelizmente não é o que acontece, sendo que os proprietários ficam lesados em vários milhares de Euros caso um contrato não corra bem, por exemplo: Num contrato em que o inquilino pague uma renda de 750 Euros, e deixe de pagar após 6 meses, o proprietário receberá 4500 Euros, para despejar a casa demorará mais ou menos 1 ano e meio, ou seja, recebeu em média pouco mais de 200 Euros mês, valor do qual teve de pagar impostos, pagar quotas de condomínio, seguros sobre a habitação, imposto sobre imóveis, saneamento municipal e por fim ainda têm de fazer obras, qua mais não seja uma pintura para poder colocar novamente o imóvel no mercado.

Para concluir podemos dizer que o arrendamento é um bom negócio quando as coisas correm bem, ou seja, quando se recebem as rendas, pois caso contrário é preferível ter a casa vazia do que todas as dores de cabeça que daí podem decorrer.

,
Artigos relacionados:
Pesquisa do blog