Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Poupar dinheiro sem sacrifícios é perfeitamente possível

Poupar é o acto de fazer melhores escolhas, pode ser comprar mais barato, comprar melhor, comprar no momento acertado ou até simplesmente não comprar. Por vezes quando se pensa em poupar imagina-se logo que nos vamos privar de algo que nos faz imensa falta e sem a qual não poderias sequer sobreviver, nada disso, poupar e ser poupado é um unicamente um exercício mental, quem dá valor ao dinheiro consegue poupar facilmente.

Relacionar o custo com dinheiro, tempo e trabalho é uma forma de fazer contrair as compras. Quantas horas tenho de trabalhar para comprar isto? É a pergunta que deverá fazer a si próprio, provavelmente a motivação da compra desaparece num instante.

Comprar mais barato

moedas de euroPor vezes pensa-se que poupar é apenas comprar mais barato, nem sempre comprar o mais barato é sinónimo de poupança. De facto poupar quando se compara o mesmo produto/serviço e se encontrar o mais barato isso sim é a forma de poupar mais comun. Comparar produtos semelhantes pode não ser poupar, pode ser outra coisa, comparam preços entre um refrigerante e uma garrafa de água, não é poupar, porque mesmo sendo produtos substitutos um do outro, não são equiparáveis ou comparáveis.Comparar produtos iguais em diferentes pontos de venda, isso sim é poupar através da comparação de preços.

O barato nem sempre justifica o seu preço, a título de exemplo: as lojas de 300 são a prova disso mesmo, tiveram o seu tempo dourado, e estão a fechar um pouco por todo o lado, simplesmente por que o preço passou a não ter importância na vida das pessoas, interessa sim a melhor relação preço/qualidade ou preço/utilidade.

Comprar melhor

Mesmo comprando algo mais caro pode significar que estamos a poupar, pois a qualidade e durabilidade de um bem influência muito as finanças pessoais de cada um, comprar um menos e melhor é o segredo. Comprar artigos duráveis e com qualidade superior dilui o custo das aquisições.

Talvez uma das excepções, e em que em nada convêm comprar o melhor é a tecnologia, pois o último grito, custa hoje muito e dentro de um ano está quase a metade do preço: computadores, telemóveis, aparelhos digitais, etc.

Comprar o momento acertado

Escolher o “timing” da compra é um factor chave na poupança, e até na vida financeira de cada um, se investimos muito cedo num carro novo, poderemos estar a hipotecar o futuro abandonando a escola muito cedo para pagar as prestações do automóvel. Depois de uns anos nem carro se tem nem a formação que nos poderia dar rendimentos para então comprarmos um carro novo em pronto pagamento.

Não comprar

Se não necessitamos do que vamos comprar porque o fazemos, compras impulsivas, experimentar produtos. Comprar impulsivamente não é sensato, mas deverá cada um consciencializar-se para este facto. A experimentação de produtos também deve ser objecto de sensatez. Da maioria das vezes há que esperar promoções das empresas que os comercializam, se querem que o consumidor prove/experimente os seus produtos, façam campanhas de degustação, ofereçam amostras dos produtos, promoções, etc. Quando se compra um carro existe a hipótese de efectuar um test-drive, sem pagar nada por isso, não se compra um carro só para ver se gostamos de o conduzir, então porque iríamos fazer isso com outros produtos?

Comentários

Os comentários deste artigo estão fechados.