Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

O sector mais importante da Economia

pequeno agricultorMuitas das vezes e devido à abundância dos dias de hoje, as pessoas esquecem-se do que é vital e indispensável, nada mais nada menos que a alimentação. Por vezes é dado como um bem que está ao alcance de todos, e bastará dinheiro ou valores para trocar por alimentos.

Neste mundo o que existe é a incerteza perante o futuro, nunca se sabe concretamente o que irá suceder nos anos vindouros. Até porque a contestação, protestos e outras atitudes revolucionárias estão cada vez mais presentes um pouco por toda a parte.

As necessidades básicas

A pirâmide de Maslow , também denominada de pirâmide das necessidades dá-nos muitas ideias para encontrar produtos e posicionamento no mercado, pois para cada patamar é possível desenvolver e promover os produtos indicados para cada tipo de  necessidade.

Na base da pirâmide encontramos as necessidades básicas, sem as mesmas satisfeitas não existe mais nenhuma necessidade. Se existe sede e não temos água o que interessa ter um relógio altamente preciso? Nada. Assim é importante ter a noção deste conceito para poder apresentar ideias.

No Sector Primário da Economia podemos encontrar actividades como: Agricultura, pecuária, silvicultura, extracção mineira, apicultura e pescas. É destes sectores que provêm os alimentos: cereais, frutas e legumes através da agricultura. Carnes e leite através da pecuária e o peixe e marisco através da pesca. Sendo por isso fundamental para a sobrevivência do Ser Humano.

O que o dinheiro não compra

O dinheiro compra tudo, menos o que não existe. O que interessa ter uma fortuna se depois não consegue comprar alimentos? Na 2ª Guerra Mundial, Portugal tinha muita da sua população ligada à agricultura e mesmo assim falharam os alimentos. Mesmo quem tinha dinheiro não os conseguia comprar porque não estavam disponíveis.

O sector primário é fundamental

Um país que abandona os campos é um país condenado. A razão é simples, se não existe forma de alimentar os seus habitantes com meios próprios terá de importar os alimentos. Se um país for o único produtor de determinado produto tem um monopólio, aí poderá praticar os preços que lhe apetecer. Não é por acaso que a União Europeia tem como um dos vectores principais da sua política de ajudas aos países à Agricultura.

Um enorme tiro nos pés

Destruir o sector da agricultura e pescas é um grande erro estratégico, que poderá condicionar gerações futuras de uma forma imprevisível. A dependência será total dentro de poucas décadas. O engraçado é que todos contribuímos para isso:

  • Consumidores – Compram o que é mais barato
  • Intermediários – Asfixiam os produtores
  • Estado – Não apoia devidamente os produtores

Nem é preciso uma guerra

Os acontecimentos dos últimos tempos mostram que nem é preciso um cenário catastrófico para haver um abalo significativo neste sector vital para a sobrevivência das pessoas. Temos como exemplo:

  • Catástrofes naturais: terramotos, intempéries,  ventos fortes, vulcões, etc
  • Preço dos combustíveis, encarecendo o preço dos alimentos

O vulcão que encheu o céus da Europa com fumo, impossibilitou o transporte de pessoas e mercadorias através de transporte aéreo, a questão será sempre, quando tempo aguenta a Europa sem produtos vindos do continente Americano? 1 mês? 3 meses? 1 ano?

Conclusão

Não é por acaso que as matérias primas, como os cereais estão em alta nas mercados de futuros, a tendência é que cada vez mais os alimentos elevem os seus preços. A solução é a mecanização dos campos para que possa haver alguma hipótese de sobrevivência dos empreendedores rurais com apoios e incentivos ao produtor agrícola.

Comentários

  1. Fernando Mendes diz:

    Olá bom dia , eu estou a iniciar um projecto de Mirtilos que deverá ser aprovado este ano , mas gostaria da sua opinião em relação ao investimento que vou fazer a nível futuro e se estou a fazer um bom investimento pois tenho receio de como o mercado será no futuro para esse produto , gostaria da sua opinião obrigado

    • Nuno Casimiro diz:

      Olá Fernando

      Não faço a minima ideia, ainda não estudei o mercado dos mirtilos.

      Mas ao que me parece existem cada vez mais produtores de mirtilos e frutos silvestres, os preços por via da oferta crescente tendem a cair, o que pode colocar em causa a rentabilidade das explorações.

      Votos de sucesso