Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Mediador de seguros, uma profissão com futuro.

Tem gosto pelas vendas ,é sério, comunicativo, privilegia o relacionamento interpessoal e não é dos que desiste facilmente, então pode preencher os principais requisitos para ser mediador de seguros. Mas ser mediador é muito mais do que vender. Há que gerir a carteira para não perder clientes. Tem de se ser persuasivo para se mostrar que nem sempre o mais barato é o melhor e imaginativo para encontrar constantemente novos negócios. Ser mediador é um trabalho árduo, a tempo inteiro e exigente. Não é só vender é também saber gerir as reclamações (que são constantes). Não é só sorrir quando se fecha um negócio, mas agir quando surge o sinistro. Ser mediador é informar, esclarecer, e proteger o cliente às vezes até da sua própria seguradora. O cliente tem de se sentir bem, seguro e confiar no mediador.

Ainda que tenha algumas desvantagens, esta profissão pode ser muito aliciante. Se conseguir uma boa carteira de clientes ganha respeito por parte da seguradora e os seus incentivos e comissões aumentam.

Mediação exclusiva ou multimarca?

Existem dois tipos de mediadores. Os multimarca e os exclusivos. Se está a pensar enveredar por esta profissão aconselho a ser multimarca, ou seja a possibilidade de poder trabalhar com mais do que uma seguradora. Pois neste momento o mercado é muito competitivo e é sempre uma vantagem poder apresentar mais do que um preço ao cliente. Ser-se mediador exclusivo representa que só pode trabalhar com uma companhia e que por isso mesmo as suas comissões também serão superiores às dos mediadores multimarca. Mas caso não tenha preço num determinado produto perde o cliente. E como diz o ditado “mais vale um pássaro na mão do que dois a voar). Se no entanto optar pela exclusividade estude primeiro as seguradoras: preços que praticam, diversidade e qualidade de produtos que oferecem, comissões, capacidade de resolução de problemas e opte pela melhor.

Outra decisão que tem de tomar é se pretende ser mediador do ramo vida ou do ramo não vida (automóvel, acidentes de trabalho, responsabilidade civil, multirrisco, etc) ou ainda de ambos. Convém ser de ambos para não ficar restringido a um determinado tipo de produto.

Como tirar o curso?

Para se exercer esta profissão há que estar devidamente creditado. Pode tirar o curso de mediação de seguros em qualquer entidade que seja reconhecida pelo ISP. Consulte a listagem destas entidades no site do próprio ISP. Compare preços, proximidade geográfica e opte pela quer lhe parecer mais vantajosa. Inscreva-se!

Se ficou convencido a enveredar por esta profissão fique a saber que deve preencher alguns requisitos como a escolaridade mínima obrigatória. Pelo que se nasceu até 1966 a escolaridade é de 4 anos, se nasceu a partir de 1697 a escolaridade é de 6 anos e se se inscreveu no básico no ano lectivo de 1987/1988 a escolaridade é de 9 anos.

Está pronto? Então arrisque!