Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Mais alguns motivos porque se deve poupar

Muito se fala na necessidade de poupar dinheiro, mas ao mesmo tempo muitas pessoas que recebem o suficiente para as suas despesas básicas questionam-se sobre essa necessidade ou capacidade. Afinal de contas não devemos usar os frutos do nosso trabalho para nos irmos utilizando? Como já vimos, poupar não é mais do do adiar a aquisição de bens, assim se múltiplas as poupanças através de investimentos pode permitir aumentar o poder aquisitivo para o futuro.

Segue-se mais lista de ideias para motivar a poupança:

Possuir fundos para emergências

Esta razão está em primeiro lugar por um motivo, pois baseia-se sobretudo no senso comum. Ninguém consegue prever o futuro e a qualquer momento podemos perder o nosso emprego, ser vítimas de uma doença ou qualquer outro infortúnio impossível de antecipar. Nestas alturas vamos suspirar de alívio pelo facto de termos poupado e ter disponível o dinheiro para ultrapassar os tempos mais difíceis. Já aqui foi abordado no artigo sobre o fundo de emergência financeira.

Pensar cedo no futuro

Quando estamos no início da nossa vida profissional é fácil ignorar o facto de que eventualmente chegará o dia da nossa reforma. Apesar de todos nós termos direito a receber uma quantia do estado, poderá desfrutar de uma reforma desafogada se para além disso beneficiar do dinheiro que poupou ao longo da vida. Imagine por exemplo que juntou numa conta aparte 5% de todos os seus ordenados ao longo da sua vida profissional, poderá desfrutar de uma reforma com algumas regalias bem merecidas.

Compra de casa ou automóvel

Todos nós precisaremos em determinado ponto da nossa vida de adquirir habitação própria ou um automóvel novo. Perante este cenário deverá ter em conta que quanto maior for a sua capacidade de pagar uma entrada mais elevada, mais baixas serão as suas prestações mensais, o que lhe permitirá manter um estilo de vida semelhante ao que tinha antes da compra.

Antes de fazer qualquer compra à que ter em mente: que a compra de carro é o pior investimento que se pode fazer ou até mesmo saber o que realmente custa ter habitação própria.

Educação e formação

A importância de possuir um fundo que lhe permita pagar a educação dos filhos é óbvia, mas poucas pessoas ponderam esta necessidade antes de terem filhos, quando ainda tinham folga financeira para o fazer. Afinal de contas se acabar por não se ter filhos o dinheiro continua lá para o usar da forma que melhor lhe convier. Outro factor a ter em conta é o facto de cada vez mais adultos já com vidas profissionais iniciadas regressarem às Universidades para melhorar as suas habilitações académicas que lhes permitam evoluções na carreira. Neste caso precisará-se de dinheiro extra para cobrir estes custos.

Futuro dos filhos e da família

Para além do ponto referido anteriormente relativo à educação dos filhos, também é normalmente a intenção de qualquer pai ou mãe conseguir auxiliar os filhos no início da sua vida: ajudar na compra de casa ou carro, auxiliar no período pós-estudos em que normalmente se seguem alguns meses de desemprego, ou quaisquer outras despesas que os seus filhos ou familiares não sejam capazes de suportar sozinhos.

Aquisição de bens não-essenciais

Ao longo da vida vai-se querer adquirir produtos e serviços como computadores, televisões de elevada qualidade, férias no estrangeiro, entre outros. Se tiver dinheiro poupado poderá pagar estes produtos e serviços a pronto, evitando assim as taxas de juro associadas a qualquer crédito oferecido pelas lojas. Se não se possuir uma margem financeira estes bens nunca deveriam ser comprados, pois alguns deles podem ser considerados como um luxo.

Comentários

Os comentários deste artigo estão fechados.