Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Pode-se ganhar dinheiro com jornais gratuitos

O negócio da venda de publicidade é bastante atractivo e dá suporte a várias actividades comerciais, nomeadamente a comunicação social. Pode-se entrar neste mercado de várias formas, sendo a imprensa escrita uma delas.

Todos sabemos que os jornais estão a morrer lentamente, já que com as novas tecnologias são cada vez menos os que compram jornais, pois têm acesso à informação gratuitamente. A especialização das edições foi a primeira estratégia para conquistar leitores, depois viram os brindes e incentivos à compra, seja jornais ou revistas, que vão deste o simples filme DVD, ao copo em cristal, faqueiros de cozinha colecionáveis e até garrafas de vinho! Como que isto não fosse bastante ainda surgiram os jornais gratuitos para o leitor. Se o leitor não compra então o melhor é oferecer.

O modelo de negócio de um jornal gratuito é bastante simples: ganha-se dinheiro com a publicidade impressa. Ou seja, as vendas de publicidade têm de cobrir todos os custos do jornal.

Pontos chave do negócio

Um jornal gratuito deve ter custo de funcionamento muito reduzidos, assim a equipa editorial deverá ser mínima.  Reportagens aprofundadas, repórteres deslocados não fazem parte destas redações. A ideia é reciclar notícias de outros meios de comunicação social, seja com utilização da agência Lusa ou através de parcerias com empresas de media.

Um ideia que pode ser muito bem aproveitada e que gera sempre notícias é contactar departamentos de relações públicas incentivando-os a participar com artigos de opinião. Quem diz relações Públicas, fala também com profissionais das mais variadas areas que tenham interesse para o público a escreverem artigos de opinião a troco de visibilidade pública. É uma estratégia win win, o jornal ganha conteúdo e o profissional ganhar mais visibilidade, logo mais clientes.

Existem várias rúbricas a ter em consideração, pois será sempre necessário recorrer a vários serviços externos. Encontrar a gráfica que faça o melhor preço para impressão ou encontrar a forma mais económica de fazer a distribuição do jornal são factores a ter em conta, já que representa um fatia considerável das despesas fixas. No caso de ser um pequeno negócio com um jornal regional semanal, pode-se considerar a distribuição própria, se for mais alargado terá de recorrer as empresas de distribuição ou criar as condições para o jornal chegar aos leitores. A colocação de pessoal junto de semáforos, entradas de metro ou comboio, paragens de autocarro são das mais utilizadas, mas envolvem os seus custos.

Outro factor chave neste negócio é a venda de publicidade. A tabela de publicidade para colocar em vigor deverá ter sempre em conta a tiragem do jornal, e o público alvo. Afinal quem são os leitores do jornal e quem se interessará em anunciar nas suas páginas os seus produtos ou serviços. É vital ter comerciais com proactividade para poder suportar financeiramente o projecto. São as vendas de publicidade que suportam todos os custos.

Resumindo: para criar um jornal gratuito deverá ter-se em consideração:

  • Custos de exploração reduzidos (para todas actividades comerciais)
  • Venda de publicidade (motor do negócio)
  • Impressão e distribuição (provavelmente um serviço contratado)
  • Equipa editorial ( fontes de informação externas, parcerias e artigos de opinião)

Jornais locais ou regionais  versus jornais nacionais

Quanto mais segmentada for área de actuação mais fácil será vender a publicidade, se um jornal regional não terá muita dificuldade em encontrar potenciais anunciantes nas zonas industriais e comerciais desses ter territórios, um jornal de âmbito mais alargado precisará de ter anunciantes de maior escala, com maiores possibilidades financeiras, o que poderá será mais difícil conquistar. Neste último caso, o esforço passará por contactar as agências de meios e de comunicação dando a conhecer as vantagens de anunciar no seu jornal.

Existem leitores para jornais gratuitos?

Quase todas as pessoas aderem ao grátis. Mas nem sempre, se o modelo de negócio se baseia na gratuidade para o leitor, não quer dizer que seja interessante lê-lo. O teor informativo nunca deve ser descurado. Até porque já se recebe bastante lixo nas caixas do correio. Nunca se deve descurar a qualidade.

A ter em consideração o jornal gratuito diário desportivo teve um vida muito curta, nasceu a 8 de Janeiro de 2007 e fechou a 15 de Julho do mesmo ano. Apenas 2 hipóteses se levam: não conseguiram vender publicidade ou não conseguiram ter leitores. Pelo menos a um nível aceitável.

Outra tendência, pode ser vista nos jornais regionais, as publicações com menos poder (tiragem) podem “atacar a concorrência” com a gratuidade, foi isso que aconteceu com o jornal regional menos lido em Castelo Branco, o Jornal Povo da Beira, era o mais recente e não se conseguiu afirmar (bater a concorrência), ao passar a ser grátis garantiu pelo menos mais uns anos de sobrevivência. Claro que deve ter havido uma reestruturação para diminuir custos, nomeadamente na vertente editorial.

É possível ganhar dinheiro com o negócio dos jornais gratuitos e começar a facturar através da venda de publicidade, basta conseguir os leitores.

Comentários

  1. Thelma diz:

    Boa noite,
    Li o seu artigo sobre os jornais gratuitos. E ando a tentar a começar um, mas o mais difícil é mesmo começar. Gostei bastante do artigo e ajudou mas estou com uma dúvida e não sei se me poderá ajudar. No caso de começar um jornal gratuito, não tenho que ter em consideração também os factos legais, como por exemplo inscrever me nalgum sítio para poder ter este mesmo jornal? É o que me preocupa mais. Pois vejo em alguns jornais gratuitos (temos o exemplo do metro, destaque…) que na sua ficha técnica existe imensa informação que não entendo, e não sei se necessito também para o meu jornal regional.

    Agradeço a sua atenção e aguardo uma resposta.

    Melhores cumprimentos,
    Thelma Filipa

  2. Nuno diz:

    Olá Thelma. Obrigado.

    Efectivamente, não abordei os aspectos legais do negócio. Acabei também por não referir um outro aspecto importante. Por isso, fica já prometido, que para a semana ( ou nos próximos dias) sairá um artigo complementar para este negócio.
    Votos de sucesso

  3. Thelma diz:

    Muito Obrigada. Irá ajudar bastante. E já agora parabéns por este website. Ajuda bastante.

    Melhores cumprimentos!

  4. Criei há três anos um jornal gratuito em minha cidade. É um jornal com oito páginas e praticamente 80% das notícias são relaciondas a minha cidade e região. As pessoas vibram quando o jornal Destaque Santacruzense é entregue a cada mês. Todos querem saber quais são as novidades e quem estará nas páginas do Destaque. Coloco curiosidade, humor e a as notícias mais comentadas durante o mês. Vou buscar lá no fundo do baú histórias relacionadas a minha cidade e percebo que isso tem despertado a atenção da população inteira.
    Meu jornal já se tornou fonte de pesquisas para as escolas e tem inclusive muitos que até o colecionam.
    Consigo pagar as despesas e até ter algum lucro com ele. O segredo? O jornal deve ser simples e com poucas informações. Um jornal com muitas páginas não atraem tanto, pois o leitor só irá ler aquilo que interessa a ele, se ele gosta de esporte por exemplo,verá essa matéria e depois jogará o jornal fora.
    Os jornais que ainda fazem sucesso hoje são os jornais tabloides que são pequenos e com poucas páginas.
    Considere o seguinte: o sonho de todo brasileiro é aparecer na mídia nacional, tipo o BBB. Então se ele não consegue aparecer na mídia nacional, você pode fazê-lo aparecer na mídia local que é a sua cidade. O sucesso do meu jornal se resume nisso: todo mundo quer aparecer e ser valorizado. Então se vc conseguir fazer isso o sucesso do seu jornal estará garantido.
    Além de valorizar as pessoas da sua cidade, você ainda resgatará a história do seu município através seu jornal.
    Comece com poucas tiragens. Acreditem: comecei distribuindo apenas 75 por mês em alguns estabelecimentos comerciais. Depois fui aumentando. Converse com alguns amigo comerciantes que poderão te ajudar nas primeiras tiragens.
    O segredo é começar e o sucesso vem depois!

    • Alceu diz:

      E vc ainda esta trabalhando com o jornal? Qto vc cobrava pelos anúncios? E qual era a forma de pagamento dos seus clientes?

  5. Nuno diz:

    Olá Paulo
    Obrigado pelo seu comentário
    É uma verdade, sem colocar uma ideia em prática nunca se saberá o resultado.
    Votos de sucesso

  6. Hugo Alexandre diz:

    Boa noite.
    A minha questão é mais técnica. Para legalizar ou avançar com um jornal/revista generalista, seja ele/a gratuito/a ou pago/a é necessário ter jornalistas, com carteira profissional, para o exercício da função? Ou se for um modelo de publicação com artigos opinativos, com crónicas por exemplo, pode-de avançar na mesma sem ter qualquer elemento credenciado e com elementos de várias áreas sem ser de jornalismo?

    Um abraço

  7. Eduardo Mattos diz:

    Bom Sábado!
    Li o artigo me esclareceu em muito pois tenho um projeto de criar uma revista de distribuição gratuita. No entanto gostaria de saber se é preciso abrir uma editora para a publicações das revistas ou jornais ou abro firma só em nome da revista?
    Um abraço, fica com Deus!!!

  8. Alceu Padilha Siqueira diz:

    E quanto vc cobrava por cada anuncio? Qual era a forma de pgto dos seus clientes? O jornal ainda existe?

  9. Marisa Filipa diz:

    Boa tarde. Gostei muito do que publicou no site. Vai ajudar-me imenso, pois para o meu trabalho de faculdade, decidi criar um jornal físico, de distribuição mensal, mas gratuito. A ideia é mesmo por as empresas pagarem para por publicidade no meu jornal desportivo, sim é só informações regionais desportivas , com eventos a decorrer, clubes, instalações, etc. O problema é que não sei os custos de um jornal A4. Acha que me consegue ajudar ou indicar algum site ?
    Cumprimentos, e mais uma vez parabéns pelo artigo.

    • Nuno Casimiro diz:

      Olá Marisa

      Obrigado pelo seu comentário

      Não faço ideia quanto poderá custar a impressão de uma jornal.
      Para ter acesso a essa informação, basta contactar gráficas, solicitando um orçamento

      Votos de sucesso

    • pedro diz:

      bem, os modelos mais viáveis, é o tabloid (25×28,5cm) ou o belini(28×31) o padrao standart alé, de grande fica muito caro! tenho um tabloid quinzenal em minha cidade, a grande dificuldade é: 1ª o pouco numero de gráficas que rodem papel jornal 45gr, o que deixa tudo muito caro, só tenho 2 opções em minha cidade!
      2ª a distribuição: minha tiragem é de 10 mil mensais, 5 mil por quinzena, com uma equipe de 12-18 pessoas distribuindo gratuitamente em toda cidade(300 mil habitantes).
      Todo o planejamento do custo do anúncio é feito por cm…existem formas de calcular, mas na boa essa parte técnica é meio dificil mesmo, entao levantem todos os custos do jornal, definam quantos espaço vc tera para a publicade e divida esse custo por eles, é mais fácil assim pra iniciar, lembrando que capa e contra capa sempre são mais caros.

  10. Higor diz:

    tenho um jornal e posso orientar sobre opções com paginas coloridas e preto e branco, seções, pautas, orçamento, valores para publicidades, tabela de preço com quadro de espaço x colunas x cm de espaço para anuncios, dicas de design, arquivos corel da diagramação e informações sobre impressão, entre outras. hqueirozhf@hotmail.com

  11. Ricardo Gomes diz:

    Qual o valor cobrado a cada anunciante?

  12. QUISSANGA NUNES diz:

    ESTOU A DAR OS PRIMEIROS PASSOS PARA ABRIR UM JORNAL NESTE CASO EM ANGOLA , NÃO É FACIL TER UM JORNAL POR CÁ , MAS POR UM LADO NÃO QUERO QUE SEJA TOTALMENTE GRATIS POIS OS MEUS COMPATRIOTAS NÃO SÃO MUITO AMIGOS DE LEITURAS , E QUANDO SE TRATA DE ALGUMA COISA GRATIS NÃO DAO VLOR .. OS MESMO SAO CAPAZES DE RECEBEREM UM JORNAL PARA LIMPAR VIDROS OU MESMO FAZER D TAPETE .. EIS O MEU PROBLEMA .. MAS GOSTEI DOS DIZERES NO VOSSO SITE .. ME VAI DAR UMA AJUDA OU MELHOR UM EMPURRÃO..