Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Falhei o que me propus, por agora

mini maratonaApós ter decidido que ia correr uma meia maratona, desafiei os leitores a fazerem o mesmo. Assim, gostaria de partilhar esta aventura convosco. Começo logo por dizer que eu não consegui, apesar de me ter inscrito na meia maratona acabei por correr apenas a mini maratona.

Não consegui desta vez, mas terei provavelmente outras oportunidades, para atingir o que me propus. Não sei qual será a evolução, mas por mim irei correr muito mais no futuro. A satisfação pessoal e prazer de me sentir bem são o que me movem.

O que correu mal?

Só há 2 dias é que decidi correr a mini maratona, eu queria superar-me neste capítulo, mas infelizmente ainda não foi desta vez. A razão para nem sequer tentar a prova mais extensa, a culpa por assim dizer, é do meu joelho esquerdo. Tem-me doido e não consigo fazer alongamentos, se bem que a correr por vezes não sinto qualquer dor. Mas tenho ali qualquer problema que terá de ser tratado, vou tratar disso nos próximos dias.

A mini maratona tal como tinha referido é uma “brincadeira”, na verdade e mesmo lesionado consegui correr até ao fim sem dificuldade. Aos 4,5 e 6 Kms ainda pensei que fiz mal em não ter entrado na prova em que estava inscrito. Sentia-me bem fisicamente e não tinha dores. No entanto agora, acho que fiz bem não ter esforçado, pois poderia agravar o problema do joelho.

Correr é fixe

Não participava numa prova desportiva há muitos anos, lembro-me vagamente de ter feito um corta-mato há muitos anos atrás, não treinei nada foi super difícil chegar ao fim. Mas há medida que vamos correndo com regularidade, ficamos mais fortes fisicamente e com maior auto-estima. E torna-se numa actividade que nos dá energia. E faz-nos sentir vivos. Só custa mesmo começar.

O segredo para correr bem está na força de vontade e no treino. A preparação é fundamental, para quase tudo, correr não foge a essa regra. Exercitar os músculos e estimular o resto do corpo, especialmente o coração e os pulmões. O que mais custa são os primeiros kms, depois é com o cérebro.

Os meus treinos

Quando lancei aqui o desafio iniciei os meus treinos, comecei por correr 6 km, depois 8, e ao 3º treino corri mais de 10 kms. Esforcei um pouco, decidi passar a fazer treinos de 6 kms. Assim foi até ao mês de Novembro, 1 ou 2 vezes por semana.

Tudo bem até Novembro. Em Dezembro e Janeiro não corri, estava frio e muitos dias a chover. Retomei os treinos em Fevereiro, logo ao primeiro treino não consegui correr mais de 3kms. Assim passei a correr 3 kms. Só em Março é que consegui correr 5 kms, muito mau para quem pretendia correr 21. Uma desilusão pessoal, não esperava que fosse o corpo a ceder nos treinos.

Foi uma experiência positiva

medalha-mini-maratonaApesar de todas as dificuldades, foi uma experiência bastante positiva, primeiro porque o ambiente é propício à superação pessoal. O tempo por km que fiz na corrida baixou significativamente, cerca de menos 30 segundos por km, face aos meus melhores tempos em treino.

No final realizar a mini maratona deu-me alguma experiência, participar em provas com milhares de pessoas tem os seus desafios. O primeiro é passar as pessoas que fazem o percursos em passeio. Na mini maratona de Lisboa, existem muitos grupos que bloqueiam a passagem a quem pretende correr. Existem até carrinhos de bebe e muitas paragens para tirar fotos, isto é tudo muito giro, mas para quem quer realmente correr não é fácil. Para ultrapassar é necessário ir sempre aos zigzags. Eu só comecei a correr após sair da ponte. São muitas pessoas mesmo, o que mostra que o running está na moda ou então é o desejo de passar a ponte 25 de Abril a pé.

As próximas provas que provavelmente participarei

  • Meia Maratona do Porto a 14 de Setembro de 2014
  • Meia Maratona de Lisboa (ponte Vasco da Gama) a 5 de Outubro de 2014

Esta foi apenas a primeira tentativa, o meu objectivo ficou agora mais claro, quero correr mais e participar nestes eventos com frequência. Força de vontade não me falta, falta só o físico corresponder. Acho que me vou tornar num colecionador de medalhas de participação 🙂

Comentários

  1. Mauro Fernandes diz:

    Faço parte de um grupo de corredores amadores completamente viciados neste desporto. Alguns já fazem provas de 60 km para cima.

    É duro, estafante, e exige muita dedicação e sacrificio, mas é como diz. Um vicio enorme e extremamente revigorador.

    • Nuno Casimiro diz:

      Olá Mauro

      Obrigado pelos seus comentários

      Fazer desporto é investir na nossa saúde 🙂

      Votos de sucesso