Dropshipping. Ser revendedor de produtos sem ter stocks

dropshippingExistem modelos de negócio que parecem serem novos, no entanto são apenas evoluções de outros mais antigos. A inovação ao serviço dos negócios. Sendo a internet recente é normal que muitos modelos de negócio sejam transpostos para o ambiente online.

Ser revendedor sem  investir em stock não é nada de novo, existem essencialmente 2 formas de o fazer através de negócios convencionais: Vendas por catálogo e venda de produtos consignados. Ou seja não se adquire os bens que estamos a vender. Vende-se primeiro e depois ganha-se a comissão ou margem de comercialização sem ter de investir em stock, tudo isto, recebendo primeiro do cliente e pagando só depois ao fornecedor.

Colocar o modelo de negócio das vendas por catálogo na internet não é nada de extraordinário. Esta forma de comercialização é conhecida por DropShipping.

O que é o DropShipping

Dropshipping é um termo inglês que designa a revenda de produtos através do canal internet. Onde o cliente efectua a compra numa loja online e realiza o pagamento, posteriormente o fornecedor envia a mercadoria directamente para quem comprou o produto ou produtos. Na maior parte das vezes os produtos são expeditos para o cliente final, não passando pelo revendedor. Tornando difícil o controlo das mercadorias recepcionadas pelos clientes.

DropShipping mais famosos

Este modelo de negócio pode ser aplicado a inúmeros sectores de actividade, mas em Portugal as actividades mais comuns estão relacionadas com Gadgets com proveniência da China, o artigo que fala sobre importação de produtos da China dá algumas pistas. Evidentemente que se pode actuar para diversos produtos, deste utilidades domésticas a vestuário. Se existe o negócio de revenda, então pode-se criar uma loja online para os vender.

Estabelecer relações comerciais com os fabricantes ou fornecedores é apenas o primeiro passo. De salientar que os fornecedores devem estar dispostos a realizar parcerias de modo a poderem escoar os seus produtos através deste modelo de negócio.

O comércio electrónico cresce de dia para dia e por isso é vulgar que cada vez mais pessoas adoptem modelos de negócio similares. Um dos conceitos e modelos de negócio utilizado no comércio electrónico é o dropshipping, pois atrai bastantes admiradores, mas nem sempre é fácil permanecer neste modelo de negócio.

Revender directamente para o cliente final

O ideal é não ter de manusear os produtos, os envios serem tratados pelos fabricantes ou fornecedores parceiros, no entanto, é complicado saber se as mercadorias chegaram efectivamente ao consumidor final. Nesta forma de estar nos negócios, envia-se a morada do cliente para o fornecedor fazer o envio directo para dos produtos vendidos ao comprador. Poupa-se tempo, trabalho e dinheiro.

Sobre a última frase, já foram publicados artigos sobre o tema:

Outro aspecto relevante e quando se trabalha com fornecedores de países longínquos é a morosidade nas entregas, é mais ou menos normal que uma encomenda com proveniência da China demore 15 dias a chegar a Portugal. O Cliente vai desesperar pela recepção dos bens adquiridos :-/

Diferença entre dropShipping e afiliado

Um sistema para ganhar dinheiro na internet é promover produtos e serviços através de links de afiliado, resumidamente, quem indica uma venda recebe um comissão. A diferença entre o dropShipping e ser afiliado reside em 3 aspectos essenciais.

  1. O Dropshipping só funciona com produtos físicos.
  2. Quando se trabalha através do regime de afiliado, só se indica o cliente.
  3. No dropshipping concretiza-se a venda e recebe-se o dinheiro da venda.Para além de ainda ter de prestar apoio.

Quem recebe dinheiro tem uma série de obrigações que um afiliado não possui.

O DropShipping é fácil

Este modelo de negócio é muito fácil, embora não seja simples. Fácil, porque apenas terá de criar uma loja online e fazer a sua divulgação. As tarefas de expedição estão a cargo da empresa fornecedora. Não é simples, pois necessita de realizar diversas tarefas pouco motivadoras, como por exemplo lidar com reclamações com os atrasos nas entregas e o extravio de encomendas.

Se fosse não houvesse desafios ou dificuldades, teríamos ainda muitos mais lojas online a operar sob este sistema. Pois é basicamente recolher dinheiro 🙂

Isto é tudo muito bonito, mas necessita de ter alguns conhecimentos de marketing online para poder levar potenciais clientes até à loja online. Conseguir tráfego (visitantes).

Nem tudo são rosas

Este é um modelo de negócio bastante lucrativo, mas também tem o seu quoeficiente de chatice. Por exemplo o cliente compra e paga determinado produto que entretanto ficou sem stock no fornecedor. Não é fácil gerir stocks sem os possuir :-/

As reclamações e apoio ao cliente configuram-se como uma barreira psicológica para entrar neste tipo de negócio. Quem tem negócios e possui clientes, sabe que terá de lidar com estes. Lidar com clientes não é tarefa fácil, especialmente quando existe um potencial de reclamações relevante.

A minha opinião pessoal

A minha opinião não é muito favorável a este tipo de negócio. A forma como se lida com os clientes e os aspectos relacionados fez-me alterar já por várias vezes ideias de negócio, ou melhor, ditaram o fracasso de várias ideias minhas de negócio. Não há nada como escolher bem como queremos lidar com os nossos clientes. Eu quero fazer negócios e não ter “muitas” chatices 😉

Etiquetas: ,
Artigos relacionados: