Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Compra de empresas ou negócios já em funcionamento

Uma das formas de ter um negócio é através da compra do mesmo, assim uma das possibilidades a ter em conta é naturalmente adquirir um que já está em funcionamento. Os riscos são bem menores do que montar a criar a empresa de raiz, pois terá já uma base de clientes e fornecedores estabelecida, o que origina uma certa estabilidade e previsibilidade face ao futuro.

As razões que levam outros empreendedores a vender podem ser diversas, mas nem todas são indicadores de fraqueza do negócio, por exemplo a reforma, pode originar grandes oportunidades, mas não só.

Mercado das empresas

A cedência de negócios e empresas é uma actividade em crescimento. Os proprietários que pretendem alienar as suas empresas procuram encontrar investidores ou empreendedores. Também nesta actividade existem mediadores, os chamados brokers de negócios, que apoiam tanto na venda como na compra através do pagamento de uma comissão, normalmente uma percentagem do valor da venda.

Razões que motivam a compra de uma empresa:

  • Fornecedores estabelecidos
  • Clientes fidelizados
  • Modelo de negócio testado
  • Oportunidade financeira
  • Posição no mercado
  • Conquista de quota de mercado
  • Diversificação de negócios
  • Sinergias com outros negócios

Razões que levam à venda de uma empresa

  • Mudança de ramo, criação de novo negócio
  • Saúde ou doença
  • Problemas financeiros
  • Necessidade de recursos financeiros
  • Reforma do empresário
  • Divórcio
  • Falecimento do empresário
  • Oferta aliciante

As opções e mercado dos negócios empresariais

Onde existem fornecedores (proprietários actuais) e clientes (proprietários futuros) existe a necessidade dos colocar em contacto. Assim surgiu a actividade de mediação de negócios, vulgarmente denominada de Business Brokers. São mediadores que procuram colocar os fornecedores em contacto com os clientes recebendo uma comissão sobre o valor da transacção. Como complemento da actividade podem oferecer vários serviços, como a avaliação da empresa, procura de potenciais interessados, etc.

Também através dos meios de comunicação é possível fazer negócios, contudo as opções de segmentação não são muitas, só anunciando para um público mais generalista o que pode não produzir os efeitos desejados. Assim os sites dedicados a este nicho de mercado parecem ser uma das melhores opções.

A internet como facilitador da mediação de negócios

Os sites de internet dedicados a este mercado depressa apareceram e colocaram-se como intermediário nestes negócios. Sendo por isso um meio a considerar, não só na venda como também na procura de oportunidades de negócio. Podendo revelar-se uma fonte de oportunidades de investimento para novos empreendedores, como para a expansão de negócios já existentes através de aquisição de concorrentes. Pode encontrar aqui: os sites portugueses de mediação de empresas.

Investidores construtores

Existem empreendedores/investidores que são especialistas em constituir uma empresa e fazê-la crescer para depois a transaccionarem, a ideia é construir negócios e colocá-los num patamar de estabilidade. Poderá ser equiparado ao construtor civil que constrói uma moradia e depois a coloca à venda. São quem assume os riscos iniciais do negócio, pode gerar bons retornos.

Quando o investidor cria a sua própria empresa será como construir uma moradia fazendo e assumindo os riscos (orçamentos excedidos) e a gestão (contratação da empresa) da construção.

Existe espaço para todos, e quanto mais dinâmico for o mercado mais serão as hipóteses do mesmo crescer. O que interessa é que existam cada vez mais empresas e negócios, para que se possa fomentar o emprego, o desenvolvimento social e a riqueza no nosso país.

Comentários

  1. Pedro A. Silva diz:

    Grande amigo, haverá duas outras vantagens quando se coloca a hipótese de se avançar para a aquisição de uma empresa já constituida. Primeira, garantir o fornecimento de matérias primas ou serviços necessários. A segunta vantagem é que o facto de haver várias possibilidades em cima da mesa irá permitir ao potencial investidor levar igualmente em linha de conta o seu perfil como investidor, o que não será de todo uma preocupação se o dito avançar para um negócio que lhe agrada só porque lhe parece bem. É igualmente de todo aconselhável que o potencial investidor peça uma avaliação externa ao processo sobre a empresa que tem como preferência. Não coloco em causa o trabalho dos Business Brokers que diga-se em abono da verdade é enorme e de extrema importância, mas dará uma maior segurança ao investidor na tomada de decisão.

    E deixo aqui alguns pontos contra:

    – O possível desconhecimento do sector por parte do investidor;
    – O facto do volume de capital necessário ser bastante mais elevado que começar de raíz é um entrave à aquisição, seja por falta de capacidade financeira seja por incapacidade de contrair financiamento;
    – Nem sempre existem soluções adequadas ao perfil do investidor ou das suas necessidades;
    – Podem existir por vezes problemas de orgânica interna da empresa que foge à análise financeira dos Business Brokers e das empresas de avaliação;
    – Em caso de ser um grupo de investidores poderá haver discordância na aquisição a efectuar, onde o menor dos problemas poderá ser não avançar de todo.

  2. Nuno diz:

    Olá Pedro

    Concordo com os pontos a que te referes, no que diz respeito aos positivos, os negativos têm de ser enquadrados, no que diz respeito à aquisição de médias ou grandes empresas.
    Se olharmos para os negócios mais pequenos, cafés, restaurantes, infantários, papelarias, etc, não será necessário ser tão exaustivo, até porque as demonstrações financeiras são fáceis de analisar.

    Os grandes negócios são assessorados por técnicos, analistas e business Brokers, para que as partes fiquem satisfeitas ou cheguem a um entendimento favorável.

    “Nem sempre existem soluções adequadas ao perfil do investidor ou das suas necessidades;” Toda a gente quer comprar abaixo do valor (seja de mercado ou real). Ora isso nem sempre é possível 😉

    Um abraço

  3. Pedro A. Silva diz:

    Boas Nuno, concordo contigo quanto ao enquadramento. Mas em relação ao perfil do investior não me referia a aquisições abaixo do valor. É óbvio que todos querem adquirir um negócio pelo valor mais competitivo. Referia-me mesmo ao pay-back. Como sabes existem sectores em que o retorno do investimendo devido ao próprio negócio em si é mais demorado. E nem sempre o potencial investidor encontra o que satisfará as suas necessidades de acordo com o seu perfil. Existem investidores que preferem o curto prazo outros que pensam a médio longo…

    Um abraço

  4. Cláudia Silva diz:

    Boa tarde, um cliente meu está atualmente em busca de investidores, preferencialmente estrangeiros, para compra das infraestruturas da empresa, sendo que daí poderá beneficiar da sua renda. Como pode ele encontrar este tipo de pessoas ou sociedades? Obrigada.

  5. Nuno diz:

    Olá Cláudia
    A solução parece simples, é colocar o que tem para venda à venda.
    Cumprimentos

  6. belmiro mota diz:

    tenho empresa distribuiçao de bebidas com representaçao de cerveja marca espanhola representante 2 concelhos norte pais já com65 maquinas colucadas e passo por dificuldades financeiras.
    procuro comprador para a mesma empresa pois estou a passar por faze de saude má tambem.
    tenho 2 viaturas comercias e uma distribuiçao
    empresa relacionada comercio alimentar de bebidas

  7. Almir silva diz:

    comprar uma lanchonete ja em funcionamento seria um bom negocio?olhando a lanchonete,, de moveis e maquinas nao chega a 15 mil mas esta a venda por 45 mil o lucro liquido gira em tordo de 2mil ate 2,5 mil..seria um bom negocio???

  8. José C.Galvão diz:

    Caro Sr. Nuno Casimiro Tento vender ( por motivos de saúde) minha Empresa na área da reabilitação, Especializada em Impermeabilizações ( in situ ) Importadora dos materiais que utiliza. vários interessados foram travados por falta de financiamento ( que até não é muito) por parte dos bancos que segundo eles não estão vocacionados para financiar compra de negócios. como me aconselha publicitar / promover a venda da mesma ( quotas da Gerência 100% ) visto parecer ser pessoa com conhecimentos na área. Grato pela atenção cumprimentos J.C.Galvão

  9. Albina Salgado diz:

    S Nuno Casimiro eu tenho 20 por cento de uma firma e estou interessada em vender ,ela tem uma faturaçao por ano que ronda um milhao de euros este ano ate e capas de ultrapassar .A firma chama se Antonio Ilidio Salgado e Salgado ,LDA . Eu estou a pedir 138 000 euros so pelos 20 por cento.esta firma e muito rentavel trabalha mos de norte a sul ,ja trabalha mos para Angola,temos loja aberta ao publico ,vende mos o material e faze mos a colocaçao ,trabalhamos muito com estes projetos que sao financiados pelo o Ministerio da agricultura ,todo o tipo de rega ,para estufas ou ao ar livre,vamos ao local dar orçamentos gratis se me arranjar um comprador .Fico a espera Albina Salgado

  10. Rui Galiza diz:

    Estava interessado em assumir uma empresa. Não tenho dinheiro para investir, como tal propunha assumir o controlo da empresa e pagar uma espécie de renda mensal ao antigo proprietario.
    No final de pagar o valor acordado pela venda, ai sim faria a escritura e compra oficial da mesma.