Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Como proteger o dinheiro em tempos de crise

moedas de euroEm tempos conturbados as pessoas menos informadas ficam preocupadas com o que pode acontecer ao seu dinheiro.  As poupanças de uma vida podem estar em risco ou as notícias com que todos os dias somos bombardeados são apenas criadoras de alarmismo e insegurança nas pessoas? Se antigamente para ter o dinheiro seguro se colocava debaixo do colchão, hoje talvez já não se aplique! Assim criei este artigo com possíveis soluções para proteger o dinheiro, contudo estou convicto que nada de mais se passará, a não ser oportunidades de investimento, sendo por isso um artigo teórico.

Eu quero crer que a fome de notícias empola qualquer assunto provocando nas pessoas sentimentos de insegurança. Ora a principal ameaça para o dinheiro é a insegurança. Pois se houver uma corrida aos depósitos, investimentos financeiros e dívida do Estado, caminhamos para o abismo e aí depois nem sei o que poderá acontecer.

Perigo: Saída do Euro

É impensável sairmos do Euro, pois se tal acontecer vai ser uma forte machadada no património financeiro, a solução caso isso aconteça será abrir contas denominadas em Dólares. Além de protecção ainda existe a possibilidade de ganhos pela valorização do dólar, nessa situação, pois o Euro ficará vulnerável.

Gostava muito do Escudo, mas retornar a ele seria algo de muito mau, algo que a minha geração (70) não tem memória. Pois as desvalorizações que a moeda iria sofrer para sermos competitivos economicamente, arrasaria o país por força das importações que ficavam também mais caras.

O que fazer

Quando não se quer perder diversifica-se, quando se quer ganhar concentram-se os investimentos, tal como ficou demonstrado no artigo: diversificar investimentos ou não diversificar

Sabendo que os sistema financeiro necessita de ser financiado, possuir recursos, quantos mais retirarem as suas economias do sistema pior ficará a situação económica do país. O ideal seria investir em Obrigações do tesouro de forma a garantir o financiamento de Portugal. No mínimo investir uma pequena parcela neste produto pode ajudar bastante.

Mas no que diz respeito à protecção do dinheiro existem várias opções.

Depósitos a prazo

Diversifique por várias instituições bancárias, o fundo de garantia de depósitos é de 100.000 Euros, até ao final do ano, depois provavelmente retornará aos 25.000€. Até este valor está coberto pelo fundo.

Metais preciosos

Investir directamente nestes activos pode dar dores de cabeça onde o guardar, em casa? Ou num cofre? Se em casa existe o risco de roubo num cofre e em casos extremos também pode ser confiscado.

Investimentos financeiros

Estes investimentos estão cobertos até 25000 pelo fundo de garantia de investidores. A titularidade pode ser repartida por vários elementos do agregado familiar, se bem que as comissões de guarda de títulos irão subir.

Imobiliário

Com as oportunidades imobiliárias que existem, grande parte, devido à falta de liquidez, quem a possui pode encontrar aqui boas oportunidades, o mercado já desceu bastante, contudo ainda poderá cair mais um pouco. O maior risco será a nacionalização de imóveis. Mas se isso alguma vez voltar a acontecer (Ocorreu no 25 de Abril) muito mal estão as coisas. A única escapatória seria o estrangeiro.

Contas bancárias internacionais

Existe a possibilidade de abrir contas noutros países tidos como seguros, como a Suíça, mas será necessário possuir valores que o justifiquem. Hoje é muito fácil abrir uma conta num país da Comunidade Europeia, e Espanha fica mesmo ao lado.

Seguros financeiros

Os seguros são produtos que são garantidos na totalidade pelo Instituto de Seguros de Portugal, sendo uma das melhores opções para pequeno montantes que não justifiquem medidas mais extremas. Devem fazer parte de uma estratégia de diversificação, pois a sua segurança é elevada, face a outros produtos financeiros.

 A palavra de ordem é diversificar.

Para finalizar 2 considerações:

  • Se tem muito dinheiro aconselhe-se com profissionais
  • Se tem pouco dinheiro, não se preocupe pois nunca pode perder muito!Eu enquadro-me aqui 🙁

Comentários

  1. Renato diz:

    “Para finalizar 2 considerações:
    Se tem muito dinheiro aconselhe-se com profissionais
    Se tem pouco dinheiro, não se preocupe pois nunca pode perder muito!Eu enquadro-me aqui :-(”

    O problema é com quem aconselhar? Acho o ramo imobiliário e os alugueres 1 óptimo ramo, mas é preciso ter alguém de muita confiança a quem dar o dinheiro, para que compre o que acha que rende mais, alugue, e depois de partido e repartido o retorno valha a pena.

    Para quem não queira ter dores de cabeça a controlar se os bens imobiliários e quem os gere o melhor são certificados do tesouro? Ou aconselha mesmo o imobiliário?