Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

A posse do dinheiro. Aprender a gerir o dinheiro próprio

criança com dinheiro na mãoO artigo de hoje vem na continuação do tema das finanças pessoais para crianças, onde se destacou a importância da poupança por parte dos mais jovens, que é uma regra essencial que vem do tempo dos nossos avós mas que as últimas gerações não tem sido grandes seguidoras. Sem poupança não há acumulação de capital que permite o investimento e posterior multiplicação das poupanças. Ganhar dinheiro com o dinheiro que se poupou é uma das coisas que os mais pequenos vão apreciar. Especialmente na hora de comprar qualquer coisa para a qual não dispõem de dinheiro necessário. Aí vai haver a necessidade de ter mais dinheiro e pensar nas possibilidades de o obter. Pedir mais aos pais, não vale 😉

Fontes de rendimento

As fontes de rendimentos dos mais jovens não são muitos diversificadas, ou são os pais ou familiares próximos que podem dar dinheiro aos jovens para as suas pequenas despesas ou para comprarem uma prenda. Em ocasiões especiais, como o aniversário ou o Natal é possível que sejam acumuladas pequenas somas provenientes de familiares e amigos.

Se existem recebimentos esporádicos, as fontes de rendimento constante são normalmente mesadas ou semanadas. Esta é uma boa forma de se aprender a gerir o nosso próprio dinheiro. Para quem quer ensinar a lidar com o dinheiro a atribuição de um valor mensal ou semanal é uma boa ideia, contudo convêm estipular um valor e um dia e um hora para efectuar essa transferência de dinheiro. Dar 20 Euros por semana aos domingos depois do jantar, pode ser uma ideia.

Dar dinheiro diariamente não é a melhor forma de ensinar a gerir o dinheiro, pois incute-se logo desde tenra idade, o conceito de “chapa ganha, chapa gasta”. Especialmente para os adolescentes este tipo de filosofia de utilizar o dinheiro todo num dia, não pensando no dia de amanhã não será muito benéfico.

Sentir o dinheiro

O melhor para quem quer ensinar as “coisas“ do dinheiro é utilizar dinheiro verdadeiro pois sentir as dimensões da moedas ou a responsabilidade de pegar numa nota é importante. O dinheiro de papel para brincar não ostenta o poder do dinheiro verdadeiro. Até nas pequenas compras pode ser didático deixar as crianças efetuarem pequenos pagamentos e receberem o troco. Ao mexer no dinheiro está a  ganhar experiência.

Os jogos que possuem notas e moedas também são bons instrumentos para treinar, por exemplo os trocos e fazer contas financeiras.

O mealheiro

Um dos objectos mais importantes quando se fala de dinheiro com uma criança é sem dúvida o mealheiro. O seu primeiro local para guardar o dinheiro que vai tendo. Conseguir poupar, sem retirar moedas aos pais 😉  para poder encher o mealheiro com moedas e notas.

As crianças pequenas por vezes ficam tão entusiasmadas com o mealheiros que só para terem o prazer de lá colocar moedas, conseguem “vasculhar” a casa à procura de moedas, descobrir dinheiro por assim dizer.

A carteira

Um dos primeiros objectos úteis para aprendizagem da gestão do dinheiro passa por possuir uma carteira onde vai guardando o dinheiro. Este objecto vai acompanhar os jovens para a fase adulta. Perceber que quando utiliza o dinheiro, este desaparece vai ser uma conclusão simples.  Mas se poupar e não gastar o dinheiro chegará a uma altura em que a carteira terá um valor e será necessário pensar o que fazer, pois o risco de perder a carteira e perder todo o seu dinheiro começa a surgir. Nessa altura poderá começar a gerir a sua própria conta bancária. Obviamente, através do pais e com as suas orientações.

No próximo artigo, vou abordar a primeira aplicação financeira, após a abertura de uma conta bancária junior.

Comentários

Os comentários deste artigo estão fechados.