Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Teimosia versus persistência nos negócios

perigoEstas duas características ou qualidades são muito semelhantes, no entanto importa refletir sobre a sua diferença, de modo a que se pode ser apenas persistente e não teimoso.

Estas duas qualidades derivam da visão, acreditar que se vai conseguir atingir determinado fim. O princípio é sempre o mesmo, a grande diferença está no resultado final.

Se conseguimos atingir o resultado proposto, fomos persistentes, se por outro lado não conseguimos atingir o objectivo, fomos teimosos.

  • Teimosia (qualidade negativa)
  • Persistência (qualidade positiva)

Teimosia: Quando acreditamos em algo, mas que está errado ou é impossível de acontecer, mantendo a postura, como se todos estivessem errados e nós certos.

Persistência: Quando temos razão, quando acreditamos que vamos conseguir atingir as metas propostas e vamos fazer tudo para as alcançar, mesmo que no caminho tenhamos de mudar de estratégias, argumentos ou acções.

Como podemos ver a fronteira que separa a teimosia da persistência é  bastante ténue. Difere apenas no resultado.  Se concretizamos a nossa visão, fomos persistentes, se as coisas derem errado, fomos teimosos.

Acreditar nos negócios

Uma das premissas associadas aos negócios é acreditar que conseguimos atingir os resultados idealizados, quanto mais não seja que não se perca tempo, dinheiro ou esforço em vão. Mas como todos sabemos, muitos são os casos onde ocorre precisamente o oposto, insolvências e menos valias estão um pouco por todo o lado.

Se a teimosia for controlada, controlar o que podemos perder, acaba por não ser mau de todo, pois muitos dos negócios se não forem testados no mercado não se conhece verdadeiramente o seu impacto e resultado. Por outro lado se a pessoa for mais flexível, e conseguir detectar o que está errado fazendo o necessário para que  as coisas corram melhor, está a ser persistente e há maiores hipóteses de as coisas correrem bem.

No final fica apenas a consciencialização de cada um de quando se deve insistir, quando se deve mudar de rumo ou quando se deve mesmo desistir. A seguinte frase é muito verdadeira:

“Se estiveres no caminho certo, avança. Se estiveres no errado, recua.” Lao Tzu

O segredo do sucesso (concretização de objectivos) está na noção de quando devemos desistir, persistir ou mudar. Quando traçamos metas e objectivos devemos saber que nem tudo ocorre como idealizamos, assim teremos de nos adaptar para não cair no erro da teimosia. Quanto mais cedo nos apercebermos de uma realidade que não leva ao melhor desfecho, melhor. Pois podemos canalizar as nossas energias para outra visão (ou ideia de negócio).

Um exemplo pessoal

O negócio dos domínios de internet captou o meu interesse logo quando me iniciei nos negócios online, comprar domínios por 8 ou 9 dólares e vender por milhares, parecia-me um negócio fantástico. E até é um negócio! Mas como em todos os negócios, nem todos conseguem ganhar, algumas vezes só se perde dinheiro. Outras não se consegue recuperar os investimentos realizados.

Em Abril de 2013, já eu alertava para o facto de não haver mercado para domínios de internet em português. Não há compradores! Eu avisei (eu também devia ter lido o meu próprio aviso). Podemos manter os investimentos até haver mercado? E quando será isso? Desenvolver centenas de domínios também não me parece viável. Tudo depende. Mas manter este tipo de investimento requer renovações todos os anos.

Sempre desaconselhei o investimento em domínios, sei que é um negócio muito difícil e onde é fácil perder dinheiro, recordo que ninguém gosta de perder dinheiro, mas por vezes insiste-se nos erros, se ao fim de 5 anos não resultou é porque algo estava/está mesmo errado. Existem estratégias que podem ser aplicadas, com foco e com uma visão ponderada. Muitas são as abordagens ao mercado, é possível ganhar dinheiro com trading de domínios. Mas para domínios em português eu não conheço nenhuma.

Os principais domainers portugueses com domínios em português, têm vindo a reduzir o seu portfólio, ficando apenas com os melhores domínios. O que faz muito sentido e eu decidi seguir esta tendência. Reduzi 2/3 dos meus domínios, de quase 600 passei para quase 200. Este desinvestimento ainda está a acontecer, só daqui por mais uns meses terei terminado esta redução.

Não interessa ter muitos domínios, interessa-me sim: ter bons domínios. Poucos mas bons.

Com este desinvestimento, novos investimentos se avizinham 🙂


Siga-nos também em Follow

Comentários

  1. Gaspar diz:

    Parabéns pelo seu belo trabalho . Obrigado

  2. J. Dias diz:

    Muito boa análise. Excelente informação sobre este mercado! 🙂