Produção em estufa. Agricultura do futuro

Uma ideia de negócio ligada à agricultura que pode ser uma óptima forma de investir no sector primário da Economia é a produção de alimentos com recurso a estufas. Tal como sugerido por um leitor, aqui fica um artigo dedicado a este tema.

Existem vários tipos de estufas, podem sem construidas em madeira ou através de estruturas metálicas, onde a característica principal é acumular o calor e proteger as culturas de geadas e vento. Com a regulação das temperaturas e humidades é possível definir as condições ideais para as espécies a produzir.

Vantagens da utilização de estufas

Se nos países nórdicos produzem através de estufas com um custo adicional no aquecimento ou regulação da temperatura interior, pois o clima desses países pode trazer vários periodos de neve e gelo, em Portugal com o clima mediterrâneo será bastante mais acessível este tipo de cultura.

A produção através de estufas não é nada de novo, contudo e com a utilização de novas tecnologias permite tirar o máximo partido destas estruturas, algo que antigamente muito poucas explorações utilizavam.

Através da simulação de condições climatéricas é possivel produzir em qualquer altura o que permite obter maiores receitas, já que por exemplo as frutas antes de época permitem preços de venda superiores, já que a oferta é diminuta. Um dos benefícios de produzir fora de época é por isso vender mais caro e com isso ganhar mais dinheiro. Este pormenor pode ditar a diferença entre possuir um negócio lucrativo e um negócio de subsistência.

Sempre a produzir

Existem culturas que são exploradas ininterruptamente, como é o caso dos cogumelos, alface ou cenouras, existindo um fluxo de vendas regular e constante, o que por si só permite efectuar planeamento e optimização da actividade.

O investimento numa exploração agrícola onde se introduza este tipo de produção é maior do que na exploração agrícola tradicional, contudo permite produzir mais em áreas menores. Isto porque se pode produzir através de tabuleiros, o que se traduz numa maior utilização do potencial e capacidade do espaço protegido pela estufa. A produção em estufa confere também segurança face a intemperies, pois os riscos de ocorrer algo que devaste a exploração são menores.

Um caso caricato

A produção através de estufas está em crescimento, sendo cada vez mais os empreendedores agrícolas que utilizam este sistema para potenciar as suas culturas. Por exemplo: Segundo me foi dito houve uma reportagem na televisão  sobre a produção de mirtilos em Estufa, onde 2 empreendedores não tinham mãos a medir (um negócio com potencialidades), recentemente li um artigo num jornal regional onde falavam sobre a agricultura e sobre o programa Jovens Agricultores em Idanha-a-Nova e 19 dos 26 jovens iam lançar-se na produção de Mirtilos em estufa :-(

Existem inúmeras oportunidades e possibilidades, não esquecendo que as espécies a produzir deverão ter em atenção se são para consumo interno ou exportação. Existem produtos que possuem um consumo residual em Portugal, mas que encontram noutros países uma boa procura, por exemplo beterrabas, pimentos ou piri-piri. Uma das ideias será a especialização, de forma a poder assumir uma papel importante para os mercados.

Um exemplo de sucesso

Existem de certeza vários casos de sucesso, seja a produção de frutos silvestres ou cogumelos, mas talvez o maior sucesso na produção em estufa em Portugal seja o caso das saladas Vitacress, que exportam grande parte da produção para Inglaterra. Não é pela falta de recursos que não se pode replicar estes sucessos, noutros produtos agrícolas.

Uma ideia de negócio relacionada

Se a tendência for a implementação de estufas na agricultura, a construção de estufas é um nicho de mercado que pode crescer significativamente nos próximos anos. As empresas capazes da construção e implementação de sistemas de controlo das estufas, com tecnologias inovadoras de apoio à produção podem revelar-se casos de sucesso empresarial.

Subscrever actualizações

rss

Comentários

  1. Pedro diz:

    Nuno sabe-me dizer onde existem cursos agrícolas para quem não tem experiência nenhuma??

  2. VITOR diz:

    Boa tarde,

    Li de relance os seus escritos, e não aprendi nada, mas não vou deixar de os ler no futuro. Mas gostava de deixar uma sugestão positiva; faça a revisão do texto antes de publicar. A empresa de sucesso de que fala, chama-se “Vitacress” e não Vitagress.

  3. jorge diz:

    Bom dia, tenho uns 400 m2 de terreno que gostaria de produzir piripiri, contudo nessecitava de ajuda para depois escoar esse mesmo produto, onde procurar.
    Será que me podia dar algum conselho nesse sentido.
    obrigado

  4. nando diz:

    Boa tarde, procuro urgentemente alguem que me possa fornecer malaguetas pequenas de boa qualidade.
    Jorge pelo que leio no seu comentario é produtor de piripiri, se assim for por favor contacte-me para conversarmos.

  5. daniel diz:

    ola bom dia a todos. eu estou na belgica e gostava de voltar a portugal, e em portugal por uma estufa de frambuesa,ou martilo, etc. mas gostava de saber que tipo de apoios é que a ai. um abraço e obrigados

  6. Isabe Silva diz:

    Olá Nuno, tenho um terreno com 500m2, o que me aconselha para poder rentabilizar o mesmo?
    Cumps

  7. ana melo diz:

    Olá , tenho um terreno com cerca de 1200 m2, o que me aconselha para poder rentabilizar o mesmo?Tinha pensado em estufas, mas não sei de que cultura, visto que estou numa pequena ilha dos açores e para exportar há dificuldade de transportes .
    Obrigada,
    Ana

  8. Fernando Moital diz:

    Li com atenção o conteúdo desta página.
    Possuo um terreno com 5000 m2, com água bombeada, no Alto Alentejo (a Norte do distrito de Évora) . Que cultura poderei aqui implementar? Tinha em mente flores ou ervas aromáticas, para exportação. Mas se houver outras culturas que melhor se adaptem nesta zona, também estou receptivo a estudá-las. Agradeço ideias como rentabilizar as que mencionei ou outras.
    Cumprimentos
    Fernando Moital

  9. GERA diz:

    Para saber mais sobre apoios ao investimento na Agricultura contactar a GERA- Gestão Rural Activa em http://www.gera.com.pt ou gera@gera.com.pt
    Projectos com financiamento a fundo perdido que pode chegar aos 100%.



AVISO:Todos os artigos publicados no blogue investidor.pt são puramente informativos e não podem ser confundidos com aconselhamento financeiro.