Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Poupar no dia-a-dia para ter sempre dinheiro

Poupar pode-se tornar um hábito saudável do dia-a-dia, o que mais custa é mesmo começar. Saber valorizar o dinheiro obriga-nos a meditar e fazer contas momentos antes a qualquer compra. Comparar o preço de um determinado bem com o seu respectivo custo é necessário para atribuir um valor justo. Fazer isso pode leva-lo a poupar ou até mesmo a deixar de estar interessado nesse produto, bem ou serviço. Até há quem diga para congelar o cartão de crédito para não incorrer em compras de impulso.

A diferença entre preço e custo

Preço é o valor que se paga pelo bem ou serviço, já o custo é o esforço financeiro necessário para adquirir esse mesmo bem ou serviço. Exempleficando: Preço 20 Euros, custo: como consegue ganhar 20 Euros ou o que poderia comprar com esses mesmo 20 Euros (custo de oportunidade).

O problema de atribuição de valor aos bens

Como exemplo e para fazermos uma comparação, existem no mercado aspiradores revolucionários por milhares de Euros, claro que a sua aquisição se traduz numas dezenas de Euros mensais, perdendo o consumidor a noção de valor desse produto. Olhar para as prestações suaves não ajuda a poupar muito pelo contrário, aumenta a dívida das famílias e perde-se por completo a noção de valor real do produto.

As pequenas compras também afectam negativamente a noção de valor, comprar algo por 60 Cêntimos de Euro pode parecer relativamente barato, afinal não chega a um Euro, contudo e se convertermos este valor em Escudos, 120 Escudos, temos uma visão diferente sobre o valor desse produto. O Euro veio dificultar a atribuição de valor dos bens, e isso, não é positivo para quem quer poupar.

Para poupar no dia-a-dia e em todos as transacções que efectua pense 1 minuto no valor real que está disposto a pagar por ela e se não haverá alternativas a esse bem.

Um exemplo de poupança no dia-a-dia

Um pequeno-almoço fora de casa composto por um copo de leite, uma torrada e um café, poderá ficar-lhe por um valor entre 2 e 3 Euros. O custo é fortemente influênciado pelo serviço que lhe é prestado, se se decidir fazer a mesma refeição em casa não lhe custará 1 Euro. Por pessoa pode-se conseguir uma poupança de 700 Euros/ano, apenas por tomar o pequeno-almoço em casa.

Existem muitas outras situações onde bem analisadas pode-se poupar largos milhares de Euros, o príncipio base é saber onde e quando gasta o dinheiro, para depois poder efectuar cortes. Poupar sem saber concretamente quais são as despezas e créditos é missão impossível.

Poupar deve ser colocado em prática para poder investir e multiplicar o património de cada um pois para investir será sempre necessário algum capital próprio.


Siga-nos também em Follow

Comentários

  1. Rc diz:

    Compreendo e até concordo perfeitamente os seus conselhos de poupança no dia-a-dia!
    Mas gostaria de ver outro tipo de exemplos que não os de tomar o pequeno-almoço em casa, levar o almoço de casa para o trabalho, aproveitar os banhos do ginásio já que estão incluídos na mensalidade, levar a lista de compras para o hiper, super ou mini-mercado (e comprar o estritamente necessário… nada de ceder a tentações!) ,… são hábitos que adquiri há já alguns anos e o dinheiro continua cada vez mais curto.
    Acredito que muitos portugueses já façam este tipo de poupanças, embora admita que ainda há muita boa gente a comer fora… vejam-se as esplanadas cheias. Mas ainda bem para a restauração!

  2. Nuno diz:

    Olá Rosa
    Obrigado pelo seu comentário
    Essa de aproveitar os banhos no ginásio é boa, pressupõe ter um custo com o ginásio :-( Então onde está a poupança! Correr pelos parques, andar de bicicleta são óptimas formas de fazer exercício sem gastar nada.
    No artigo http://investidor.pt/poupe-240-euros-ou-mais-na-factura-da-televisao-por-cabo/ dá algumas ideias, mas se cortar com a televisão por cabo a poupança é ainda maior :-(

    Vou ver se escrevo mais alguns artigos sobre poupança, mas acho que as melhor formas de poupar sem retirar qualidade de vida é renegociar contratos, créditos, seguros, electricidade, telecomunicações, aproveitar saldos, descontos e promoções.

    http://investidor.pt/simular-e-comparar-e-a-melhor-forma-de-poupar/ este artigo mostra bem isso.
    Votos de sucesso