Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Poupar e abrir contas bancárias para os filhos

abrir-conta-bancaria-infantilA ideia de abrir uma conta no banco para realizar poupanças em nome dos filhos é uma ideia que surge geralmente logo após o nascimento do primeiro filho, criar um pé-de-meia para os descendentes.

É uma ideia nobre que visa dotar as crianças de recursos financeiros quando atingem a maioridade. Este dinheiro pode ser utilizado posteriormente pelos filhos na aquisição do primeiro carro, moto ou ajudar na despesas com a educação (universidade) ou até quem sabe ser utilizado para investir em viagens.

Parece ser uma boa ideia à primeira vista, mas pode não ser. Digo isto após ter feito a abertura de contas bancárias para os meus 2 filhos (9 e 6 anos).

Criar uma conta bancária para as crianças guardarem o seu dinheiro em tenra idade faz sentido, até para não ter muito dinheiro em casa. É até recomendável que se faça a abertura dessas contas. O dinheiro que as crianças recebem de familiares pode ser guardado e ainda render alguns juros, se bem que serão sempre diminutos. Uma alternativa às contas bancárias são os Certificados de Aforro, a remuneração do capital é decerto muito superior.

Uma outra opção a considerar, caso se pretenda efectuar poupanças para os descendentes é a abertura de uma conta bancária em nome do pai ou mãe e subscrever vários fundos de investimento. Um fundo de investimento de cada vez, um por ano, fundos de investimento estes que tenham alguma exposição a acções. Como o universo temporal é alargado será por ventura a forma mais fácil de conseguir uma remuneração das poupanças mais aliciante. De considerar nesta opção, que se deverá escolher uma instituição bancária que não possua custos de manutenção da conta.

Já no que diz respeito a efectuar poupanças em nome das crianças, por exemplo dando uma ordem de transferência automática de 25 ou 50 euros todos os meses para a conta dos filhos não me parece boa ideia. E já explico o porquê

Poupar em nome dos filhos

Poupar é sempre uma boa ideia, poupar de forma automatizada ajuda na tarefa, mas em vez de fazê-lo em nome dos filhos é muito melhor fazê-lo em nosso próprio nome. Poupar para poder investir. As contas bancárias de menores são limitativas, as instituições bancárias oferecem pouco mais do que depósitos a prazo a taxas reduzidas como forma de capitalizar as poupanças. Sabendo que as contas bancárias de menores são sempre credoras, contas com fundos (as crianças não podem pedir crédito) estas contas bancárias são mesmo boas é para os bancos.

Investir nos filhos

Melhor do que poupar para os filhos é investir neles. Assim, na minha opinião é preferível investir na educação dos mesmos do que lhes colocar dinheiro numa conta. Pode até ser preferível fazer um viagem com os filhos, comprar um carro mais seguro para a família, comprar livros, adquirir consolas de jogos ou pagar por actividades extras que sejam do interesse das crianças.

Garantir a segurança financeira dos filhos

Considero que melhor do que poupar em nome dos meus filhos foi ter contratado um seguro de vida que em caso de me acontecer alguma coisa e não poder ensina-los a ganhar dinheiro, possam ficar menos preocupados com dinheiro.

Um outro aspecto que importa salientar é que os jovens precisam saber o que custa ganhar o dinheiro, para assim lhe poderem dar valor. Quem nunca trabalhou para ganhar dinheiro não sabe o sacrifício ou habilidades necessários para ganhar dinheiro. Sim, pode ganhar-se muito dinheiro sem sacrifício, basta saber como. Os negócios são um bom exemplo.

Melhor do que poupar para os filhos é ensina-los a ganhar dinheiro.

Sei que este é um capítulo em que nem todos podem dar bons exemplos, nem sempre os pais sabem como ganhar dinheiro, não importa a formação académica, é aqui que entra o empreendedorismo e a determinação em vencer. Ganhar dinheiro é relativamente fácil através de negócios empresariais e investimentos financeiros, mas também é verdade que não é fácil ultrapassar as primeiras barreiras nestes empreendimentos.  Aqui ainda existe um longo caminho a percorrer, cada vez mais a história do “estuda e terás um bom emprego” é fantasiosa. Hoje em dia só os melhores alunos das melhores universidades conseguem abraçar um bom emprego, no futuro não será muito diferente.

Dar emprego aos filhos

A minha visão para o futuro é bastante clara neste capitulo, se eu conseguir desenvolver uma empresa sustentável e com algum sucesso, os meus filhos serão os meus colaboradores. Terei os agora “pequenos” sempre por perto e tomarão conta de um negócio que um dia será deles. Se investir em mim, nas minhas ideias e se estas derem certo todos ganhamos, se não resultarem estas, tentarei encontrar outras.

A ideia não é dar-lhes emprego, mas sim dar-lhes uma empresa (a minha). ;-)


Siga-nos também em Follow

Comentários

  1. sara diz:

    Boa noite

    Eu sou tia e posso abrir uma conta ao meu sobrinho?
    Com autorização dos pais!
    Como é a autorização dos pais?