Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Obrigações = Investir na dívida das empresas

As obrigações fazem parte da classe de investimentos financeiros que são comercializados pela banca e em alguns casos apenas a banca online as transaciona. As obrigações não são mais do que títulos de dívida de uma empresa que obedecem a um conjunto de regras definidas pelo Banco de Portugal,  isto para dizer que é um mercado regulamentado.

Investir em Obrigações é uma forma de diversificar os investimentos e como tal devem constar de uma carteira de investimentos bem planeada.

Existem factores relevantes para este tipo de investimento e uma vez que se está a ceder dinheiro (fazer um empréstimo) é bom saber se quem recebe está em condições de depois o devolver com o respectivo prémio (taxa de cupão ou taxa de juro associado) ou seja o rating da empresa.

O risco das Obricações está sempre relacionado com a capacidade da empresa saldar as suas dívidas. Para facilitar a análise dos pequenos investidores, as grandes companhias de análise de empresas, elaboram uma análise e difulgam-na no mercado, as chamadas empresas de Rating. O Rating não é mais que a análise da capacidade financeira da empresa e as taxas de rendimento estão sempre associadas a estes riscos: mais risco mais rendibilidade e vice versa.

As obrigações podem assumir várias tipos, pois existe cada vez mais criatividade na construção de produtos financeiros, assim para além das tradicionais obrigações que apenas têm uma taxa de retorno definida no momento da sua colocação, existem as com componentes variáveis ou com junção de direitos por exemplo as que conferem o direito, opcional, de adquirir acções da empresa a um custo mais baixo.

Pode-se investir em obrigações por 2 vias:

Via directa

Pode se ser detentor das mesmas e ser obrigacionista da empresa, sendo o credor da empresa e assumindo esse risco. A compra pode ser realizada no momento da colocação ou através de negociação em bolsa caso estejam cotadas.

Via fundo de investimento

Existem fundos de investimento temáticos entre os quais os de obrigações. O fundo adquire obrigações da empresa, dilui o risco deste tipo de investimento e também os ganhos. Acresce sempre o custo de gestão do fundo.

Seguem-se alguns exemplos de taxas liquidas proporcionadas e esperadas pelas Obrigações de algumas empresas portuguesas ( à data de 21/12/2010):

Taxas das obrigações actualizadas:

Entidade Maturidade Taxa líquida
BCP Janeiro de 2012 7,98%
BCP Abril de 2014 8,40%
BES Junho de 2014 7,60%
BES Janeiro de 2015 7,99%
CGD Maio de2013 5,56%
CGD Fevereiro de 2014 5,99%
EDP Março de 2015 4,34%
PT Março de 2017 4,10%
REFER Março de 2015 5,66%

Obrigações do Tesouro Portuguesas:

Maturidade: 2014 =Taxa Líquida de 3,44% Maturidade:  2015 =Taxa Líquida de 4,27%

As taxas aqui mencionadas foram enviadas pelo César Curado, ao qual agradeço.

Finalizando com o seu pensamento sobre este investimento

Sem duvida que são uma excelente alternativa aos vulgares Depósitos a Prazo, que dificilmente proporcionam estas taxas liquidas!


Siga-nos também em Follow

Comentários

Os comentários deste artigo estão fechados.