Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

O investimento que não desvaloriza

Os bons investimentos nunca, ou raramente, perdem o seu valor, assim podemos considerá-los como os melhores investimentos do mundo. Este tipo de investimento por vezes caracteriza-se por ser pouco financeiro e muito temporal. Mas também existem investimentos financeiros que não desvalorizam, senão vejamos:

Os dois recursos escassos que podemos investir podem ser o tempo e o dinheiro. Com investimento no tempo e no dinheiro pode obter-se mais do que rendimentos, podem retirar-se momentos memoráveis.

Investir em nós próprios

Existem muitas formas de investir em nós próprios, pode ser considerado um investimento: o vestuário, um perfume, um meio de transporte, uma participação num evento, enfim tudo aquilo relacionado com a forma como somos vistos pelos outros. Aspectos que podendo ser superficiais mas não deixam de ser importantes na construção de nós próprios de dos nossos sonhos.

Podemos levar o investimento a outro nível como seja por exemplo um implante dentário (custa mais ou menos 1500€) ou até quem sabe um lipoaspiração ou depilação a lazer, também podem ser considerados investimentos na nossa pessoa. Se existe pormenores capazes de transcendência é a própria motivação que parte de nós, assim estar bem com nós próprios permite-nos realizar coisas extraordinárias.

Investir na família

Mais do que o dinheiro que se investe, o tempo é considerado o recurso mais escasso e a sua utilização e alocação deverá ser mais do que pensado. Um passeio, uma sessão de cinema, umas férias, um jantar fora, uma visita cultural, enfim existem mil coisas que poderão ser feitas para reforçar os laços e criar pontos de memória futura dos bons tempos passados.

Se existe aspecto com o qual não concordo é de fazer sacrificios para dar tudo aos filhos e depois privam-se os descendentes do convívio com os progenitores. No meu entender o tempo que se passa com os filhos é enriquecedor para ambas as partes. É melhor dar carinho, atenção e amor do que dar bens materiais. Mesmo sabendo que tudo faz falta.

Investir no conhecimento

O conhecimento é algo que também não se desvaloriza, existindo poucas excepções, como as amnésias! Mas regra geral o conhecimento é um bem que perdura no tempo. Investir no conhecimento pode ser efectuado através de livros, cursos, formações e outros eventos. Conforme foi referenciado no artigo: como aumentar os conhecimentos financeiros, que pode ser adaptado a outros tipos de conhecimento.

“O conhecimento é em si próprio um poder” Francis Bacon

Existem 2 tipos de conhecimento

O conhecimento pode ser geral, cultura geral que para além de ser uma mais valia pode ser útil para ganhar programas televisivos, do género  “quem quer ser milionário” ou  pode ser um conhecimento mais especializado. Pode dizer-se que o conhecimento geral não é fórmula para ganhar dinheiro mas pode fazer uma grande diferença. Embora hoje em dia o espaço que medeia o desconhecimento e o conhecimento são poucos segundos, pois se antigamente teriamos de ir a uma biblioteca, actualmene basta aceder à internet. O conhecimento e o saber  não ocupam lugar.

No conhecimento especializado é onde está o dinheiro, esse conhecimento não se encontra na internet, pois está nas pessoas. As profissões como advogado, técnico oficial de contas ou consultor são disso o melhor exemplo. Apesar do conhecimento poder ser apreendido por qualquer pessoa, quem o detém é que o pode utilizar. Não podemos que esquecer que o conhecimento não é dinheiro só por si, pois transformar conhecimento em dinheiro é uma outra questão.

Existem tantas boas formas de investir o dinheiro e o tempo que o mais difícil é mesmo decidir o que escolher e em que ocasião decidir.


Siga-nos também em Follow

Comentários

Os comentários deste artigo estão fechados.