Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Loja para venda de produtos em 2ª mão

O negócio da venda de artigos usados não é novo, é até bastante antigo! Hoje vamos análisar pequenos artigos que estão um pouco por todas as casas, pois o mundo dos produtos usados é gigantesco, pode ir de um conjunto de toalhas, um livro, uma caneta, um jogo, mobiliário, electrodomésticos, etc.

Este artigo vem dar reposta a várias solicitações pedidas através da página de análise de ideias de negócio, pois isso vamos centrarnos na comercialização de artigos usados através de uma loja. Assim será vista sob uma perspectiva abrangente do que comercializar.

A ideia do negócio é simples: comprar por quase nada e vender com uma boa margem.

O tipo de loja

Antes de mais é necessário saber que tipo de loja se tem em vista, se abrangente ou se temática, será uma opção estratégia que pode ser importante, existem até bastantes oportunidades, conceitos inovadores que podem ser criados através deste conceito de negócio que irei abordar mais adiante.

No mercado já existem algumas lojas multi-artigos (vende-se de tudo um pouco), apresentam uma grande variedade de objectos, que podem ir de uma computador a um anel. Neste tipo de estabelecimento comercial existe uma grande dificuldade em atribuir o preço aos bens. Pois se a diversidade é muita é necessário ter uma cultura geral bastante alargada, não vá aparecer alguém com um quadro do Cargaleiro e pedir uma valor de 50 ou 100€, e a pessoa recusar o negócio por pensar se tratar de alguma obra amadora.

Saber distinguir ouro (falso e verdadeiro) também pode dar jeito! Ou comprar uma máquina fotográfica por um valor superior ou próximo ao que é vendido novo também pode causar dissabores. É necessária muita informação, alguma pode ser conseguida através de uma pesquisa na internet , nomeadamente preços, mas se os produtos tiverem alguma avaria camuflada (detectável apenas por especialistas) pode ser um mono que se está a comprar.

Os fornecedores

Os fornecedores dos bens são também clientes finais, o ideal é fazer trocas, artigos de baixo valor por artigos de maior valor. A origem dos bens pode ser diversa, mas não será de estranhar se aparecerem artigos furtados para comprar. As questões legais não devem ser descuradas pois é proibido por lei ser receptor de material furtado.

Alguns dos motivos que levam as pessoas a vender os seus bens nas lojas de artigos de 2ª mão são: falta de dinheiro, artigo sem utilidade e ou aquisição duma evolução do mesmo. No entanto, o proprietário tem várias soluções para se desfazer destes bens. Na internet existem variados sites de venda de objectos de 2ª mão, contudo têm o grande inconveniente dos custos de expedição e o medo dos consumidores serem enganados também os afasta deste tipo de comercialização.

Soluções para o proprietário dos bens, como alternativa (concorrência):

  • Venda através de sites de classificados
  • Venda através de anúncios em Jornais
  • Venda a conhecidos (rede de contactos)

Dar também é boa ideia

Hoje tenta-se vender o que anteriormente era oferecido, antes doava-se (dava-se) roupa a pessoas necessitadas, hoje tenta-se vender essa mesma roupa. Antigamente dáva-se um carrinho de bébé a alguém com menores posses ou simplesmente ficava para um familiar hoje vende-se practicamente tudo.

A concorrência

Se as lojas multi artigos são ainda recentes, os antiquários, os alfarrabistas,  colecionadores e casas de penhor são actividades muito antigas que sempre compraram o que tinha valor. Também as empresas ligadas à indústria podem ser receptoras de artigos usados. Uma loja de pranchas de surf, pode ter uma secção de pranchas usadas para venda, que poderá ser proveniente de retomas ou de compra directa.

Os objectos sem valor podem ser a reciclados. Ora, aqui está a oportunidade, as pessoas em vez de deitarem fora (para o lixo) tentam vendê-los e todo o dinheiro que receberem é lucro, pois caso fosse jogado no lixo não valia nada.

Para os objectos de baixo valor, fica aqui um pequeno reparo,  se a tentativa de venda for através de uma loja que pressuponha uma deslocação, o valor da venda pode não cobrir os custos de transporte!

As oportunidades neste tipo de negócio

Analisando bem o conceito que está por detrás do negócio dos artigos usados e em 2ª mão, o facto de se concentrar num nicho de mercado ainda pouco explorado, pode ter algum sucesso pela novidade. Exemplos:

  • Loja de bicicletas usadas
  • Loja de material de apoio à locomoção (cadeira de rodas, andarilhos, canadianas)
  • Loja de relógios usados

A reparação ou limpeza deste tipo objectos é um serviço adicional e que constitui valor. No caso dos relógios é especializado, em bicicletas e outro tipo de objectos apenas é necessário uma boa dose de aptidão para as pequenas reparações.

As ameaças

Todos os artigos técnológicos são um enorme perigo, pois o valor dos mesmos é decrescente. Um televisão plasma podia custar 2500€ nova, com o passar do tempo foi possível comprar esse mesmo plasma por 750€ (novo), o caso dos computadores é semelhante, hoje custa 1500€ e daqui a uns meses pode-se comprar por metade do preço (novo). Assim neste tipo de artigos é preciso muito cuidado com as avaliações.

Com os custos de produção a serem cada vez menores, os artigos mais modernos podem estar nas lojas cada vez mais baratos, e isso compromete a actividade, pois caso a avaliação dos artigos seja mal realizada, pode-se perder bastante dinheiro.


Siga-nos também em Follow

Comentários

  1. MÁRIO diz:

    Gostaria que me informassem do que é preciso tratar para abrir uma loja de artigos em 2ª mao.
    Cumps e obrigado.

    • Mario diz:

      Tamben eu estou interessado em abrir uma loja de artigos usados…tems alguma informaçao sobre o assunto..?

  2. alex diz:

    ola amigo pelo menos aki na minha cidade e so alugar a loja e investir no producto tambem estou a kerer investir numa de artigos usados se souber de algo k possa acrescentar a minha pesquiza entre em contacto cmg p.f

  3. Manuel Cavaco diz:

    Boa tarde – Poderei abrir uma loja de artigos usados diversos ( móveis, ferramentas, eletrodomésticos , etc ) e utilizar o sistema de não investir nos artigos mas sim utilizar o sistema de consignação , ou seja o vendedor traz o artigo, diz o preço que pretende ( pode ser menor ou maior ) firma-se uma espécie de contrato , o artigo fica na loja e uma % é para o dono da loja a outra é para o vendedor. Isto será possível ? Sem sim e se isto já existe qual o valor das % a atribuir . Obrigado.

    • Filipe diz:

      Olà, Sr. Manuel Cavaco, a sua ideia é muito boa, eu tambem gostaria de fazer algo como voçe diz, voçe jà foi saber se isso é possivel?Eu estou em França e por cà existe muitos comerçios desse tipo que até trabalham bem?

  4. sandra silva diz:

    minha irma tem uma loja,ela esta querendo vender,mas está loja tem dividas,até ela venda metade do preço,se a pessoa arcar as dívidasé uma loja que vende material eletrica e junto material de construçao(pedra,areia,cimento,tubo de esgoto e tubos solidos e hidraulicas,esta muito dificil para ela,isso ja vai para 2 ano,ela que saber ,qual é a maneira de ela poder vender esta loja,ou me dar uma opinião.para ajudar ela !

  5. custodio Prates diz:

    Boa tarde,tenho uma empresa de transporte em Inglaterra,na qual faco muitas 2 viagens por mes a Portugal. Normalmente transporto: motas ,bicicletas,mobility scooters (mobilete) que esta muito na moda agora em Portugal ,microondas,fornos electricos,fogoes,etc…etc… enfim uma variadade de produtos muito vasta e a precos convidativos.

    Telemovel: 0044 752 887 0535
    Cumprimentos
    Custodio Prates

    • Manuel Fernandes diz:

      Boa noite
      Sr Custódio Prates ainda faz os seus transportes de Inglaterra para portugal ?
      se sim posso entrar em contacto com o Sr ? para me poder fornecermais detalhes ?

      Grato.

  6. ana cristina epinheira diz:

    Boa tarde,
    Pretendo abrir uma loja para vender artigos usados. Como esses artigos ja foram taxados com Iva no ato da compra, ao vendê los tenho que adicionar o IVA?
    Obrigada
    Ana Cristina Espinheira

  7. Vitor diz:

    Boas, no caso da loja com artigos á consignação, gostaria de saber, quais os pontos legais para o proprietário do bem, me autorizar a sua venda. Obrigado

  8. Aida Oliveira diz:

    Ola bom dia,
    Estou mt interessada em abrir uma loja de “coisas” em segunda mão, já ando a procura de espaço comercial. Tenho muitas dúvidas acerca dos aspectos legais, será que me poderia ajudar?
    Aida Oliveira

  9. sonia diz:

    Ola bom dia,
    Estou mt interessada em abrir uma loja de “coisas” em segunda mão, já ando a procura de espaço comercial. Tenho muitas dúvidas acerca dos aspectos legais, será que me poderia ajudar?

    • Nuno Casimiro diz:

      Olá Sónia

      O melhor forma é contactar um contabilista, ele saberá responder a todas as suas questões

      Votos de sucesso

  10. Filipe diz:

    Olá Sónia
    Como vái com as suas pesquisas em relação aos aspectos legais?Pois eu tambem queria fazer algo igual…
    Obrigado

  11. josé barros diz:

    Òla boa noite estou intressado em abrir uma loja de artigos usados e talvez á consignação ,alguem
    me poderá esclarecer?
    obrigado.

  12. helder diz:

    Boas! Eu tou interessado em abrir uma loja de usados de informatica, tais como, tablets, computadores, telemoveis etc. O que é preciso para abrir uma loja deste tipo, como funcionam as garantias e afins. obgd

    • Nuno Lopes diz:

      Boa noite,.
      como posso adequirir legalmente produtos usados?
      tipo dar dinheiro e fatura ao cliente depois de ele me entregar algo na loja?
      agradeço.

  13. Manuel Cavaco diz:

    Ola Sr. Filipe

    Essas lojas ai em França, sabe qual é a margem que aplicam no caso de venda a consignação ? Consegui apenas uma informação que me disseram que era 50/50.

    Obrigado

  14. Nuno Bairos diz:

    Boa tarde daqui a um ano vou para o desemprego e gostaria de abrir uma loja de artigos usados, vou pedir o subsídio de desemprego na totalidade para criar a minha loja ou seja o meu próprio emprego mas tenho que apresentar um projeto para poder receber o valor total da prestação de desemprego.
    No começo irei vender artigos á consignação mas depois irei comprar e vender os mesmos.
    Gostaria de saber se alguém me poderia ajudar de como se faz um projeto ou se alguém já fez algum parecido.

  15. Nelson M. diz:

    Estou a começar a fazer um projecto relacionado com artigos usados , contudo como muitos dos leitores tenho dúvidas em algumas questões legais. Onde poderei tirar essas dúvidas?