Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Leilões de imobiliário, oportunidades em tempo de crise

zona residencialPara quem quer adquirir imobiliário em leilão existem muitas oportunidades e vários locais para conseguir fazer o seu negócio. Com a recente crise no mercado do crédito muito derivado da subida das taxas de juro, estrangulou o orçamento familiar de algumas famílias e também de empresas. Assim surgiram as penhoras de bens imóveis, seja pela parte das instituições financeiras como pelo Estado, em larga escala.

A origem dos imóveis em leilão

As famílias que não conseguiram suportar os encargos com o seu crédito habitação veêm agora os seus imóveis a serem colocados em leilão por parte dos bancos ou instituições de crédito. Isto acontece porque as casas têm uma hipoteca a favor do banco, assim quem não paga o seu crédito habitação têm que entregar as chaves da casa.

A falência das empresas também trás para o mercado do imobiliário alguns imóveis, se bem que sejam maioritariamente imóveis industriais, como terrenos e armazéns.

Dívidas ficais também atormentam proprietários, seja em qualquer imposto e até mesmo a falta de contribuições para a Segurança Social de trabalhadores independentes, pode motivar à penhora e subsequente leilão dos bens do faltoso.

Descontos na compra de imóveis

Ora, o mal de uns é oportunidade para outros, estas casas hipotecadas vão a leilão por valores abaixo do valor de mercado, se é que se consiga calcular o seu valor justo. Os terrenos, lojas e armazéns são menos frequentes, mas também podem surgir nestes leilões. Por vezes o valor base de licitação é estipulado pelo valor da dívida, assim os preços podem ser muito apeteciveis ou caso a avaliação do imóvel tenha sido “forçada” para cima para obter financiamento a 100% e ainda seja recente, pode não ser um bom negócio.

Vantagens de comprar casa em leilão

O negócio de comprar casa em leilão é tão apetecivel para quem compra como para quem vende, o comprador compra mais barato e o vendedor consegue vender quantidades substanciais de imóveis, os bancos não têm qualquer interesse em possuir casas, assim querem desfazer-se da sua carteira de imóveis, o negócio deles é dinheiro!

Uma outra vantagem inerente aos leilões de imóveis provenientes de instituições financeiras é o facto de haver uma pré aprovação do crédito e condições preferenciais para quem fique proprietário desses mesmos imóveis.

Onde pode encontrar imóveis em Leilão:

Nos leilões das Direcção Geral de Impostos, vulgo Finanças pode encontrar para além de imóveis, automóveis e partes sociais de empresas. As penhoras são constantes logo existem novidades de semana para semana. É preciso persistência até encontrar um negócio em determinada localização. Não é muito comum encontrar imóveis premium nestas situações, apesar de existirem imóveis de valores elevados.

A secção de vendas está em: http://www.e-financas.gov.pt/vendas/

A Luso-Roux é uma empresa que actua na área dos serviços de mediação, que vai muito para além dos leilões de imobiliário, mas no contexto deste artigo pode ver as ofertas de imóveis disponiveis através de leilão através no seu site no seguinte endereço:

http://portal.luso-roux.pt/vendas/imobiliario.aspx#/LeiloesPresenciais/

A Euro Estates é uma empresa especializada em leilões de imóveis provenientes de Bancos, esta no mercado desde 2003 e também fornece serviços de mediação imobiliária, pode visitar a sua oferta de imóveis através do seguinte endereço:

http://www.euroestates.pt/calendario_leiloes.php

A LEILOSOC actua também no mercado dos leilões dedicados ao imobiliário, pode consultar os imóveis disponíveis em:

http://www.leiloes.leilosoc.com/vendas_l.aspx?MID=2

Ver as oportunidades é a parte mais fácil do processo, pois fazer visitas e licitar nos imóveis pode ser um tormento, especialmente se tiver opositores com grande poder financeiro, aliás é quem mais investe através deste processo.


Siga-nos também em Follow

Comentários

  1. Pedro Silva diz:

    Viva,

    Seria importante referir que nas compras por carta fechada das finanças deverá ter-se 15% do valor de venda no momento de fecho do leilão.
    Os restantes 85% deverão ser entregues á Repartição de Finanças num prazo máximo de 15 dias.

    O que quer isto dizer? Se trabalharmos com OPM (Other People Money), leia-se Finamciamento, será necessário já ter os processos de financiamento aprovados e não ter que passar por todo o processo (o que muito provavelmente levaria mais do que 15 dias).

    É preciso ter liquidez para se investir dos bens penhorados pelas finanças.

    Quanto aos leilões de bens dos bancos recomendo que estabeleçam um limite máximo de licitação para cada imóvel do seu interesse. É de bom senso não se entusiasmar com a licitação e no fim comprar a preços acima dos de mercado. Faça o TPC e veja os preços desse imóvel na zona, por que valor outros semelhantes foram comprados, vá às imobiliárias se necessário.

    Não vá aos leilões sem fazer o TPC, só porque gosta daquele imóvel….

    Assista a leilões antes de começar a licitar. As portas estão abertas para quem quizer assistir. Vá e aprenda.

  2. Nuno diz:

    Olá Pedro Silva
    Obrigado pelo seu comentário.
    De facto veio acrescentar informações bastante úteis, completando a informação de forma muito positiva.
    Pessoalmente apenas fui ver imóveis, e ainda não participei em nenhum leilão de imóveis. Mas o interesse pelo assunto, esse existe de há muito. Participei sim, em leilões de automóveis pela Direcção Geral do Património.

  3. ricardo oliveira diz:

    ola
    o que fazer com esses imoveis que obtemos; eu sei que podem ser divulgados no mercado(ex. mediadoras imobiliarias,etc…)mas alguns só para grandes grupos de investimento;podem me ajudar a quem me poderei dirigir a que portas bater?

  4. Nuno diz:

    Olá Ricardo

    Sinceramente, não percebi a sua pergunta. Se se puder explicar melhor, talvez possa dar uma resposta.