Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Jogos para aprender finanças pessoais

jogos-financasOs jogos podem ser bastante didácticos, vários são os benefícios associados aos jogos. Aprender a brincar é sempre das melhores ideias. Por exemplo a matemática, é fácil se percebermos que não existe dificuldade, 2+2 são sempre 4. Mas existem muitas situações onde a matemática pode ser divertida, quando utilizada nas coisas mais simples, é assim que se aprende, quando se percebe que conceitos abstratos, afinal, são coisas com que convivemos e torna-se mais fácil a aprendizagem.

Há quem tenha alergia aos “números”, mas como as finanças pessoais fazem parte de cada um de nós, não é de admirar que por vezes existam pessoas que não sabem calcular juros em depósitos a prazo. Se não se sabe, como se pode organizar as contas? A gestão do dinheiro e da economia doméstica são super importantes, não perceber isto, pode levar a entrar em situações indesejadas. Por isso nada melhor do que jogar uns jogos que nos ensinam a pensar nestes assuntos. Como já no passado referi senão cuidarmos das nossas finanças pessoais, quem o fará?

Pode aprender-se finanças pessoais de forma divertida e no conforto da sua casa com um investimento muito reduzido.

Monopólio

É provavelmente o jogo mais conhecido e amplamente jogado, existem alguns conceitos importantes que podem ser apreendidos, como a gestão da capacidade financeira, bem como as rendas associados ao imobiliário. Aliás, este jogo assenta basicamente na aquisição de propriedades e nas recompensas obtidas quando os jogadores adversários caiem nestes casas. Existe muita aleatoriedade, seja nas cartas de sorte ou de azar.

Se é verdade que a sorte e o azar podem ser factores fundamentais na nossa vida, a verdade é que por não os podermos controlar, acaba por levar este jogo a campos onde pouco se pode realmente aprender. Bem, as crianças com o banco aprendem sempre a fazer contas com o dinheiro :-)

Simcity

Este é um jogo de computador que surgiu nos anos 90, e que tem sido aperfeiçoado ao longo dos tempos. O objectivo do jogo é gerir uma cidade. Com os vários desafios que vão aparecendo. A determinação de impostos e a construção de zonas residenciais, comerciais e industriais, bem como as funções do Estado: Construção de escolas, hospitais, estradas, espaços de lazer, estão incluídas no simulador. Com isto podemos perceber como se desenvolve a sociedade e o que condiciona a satisfação dos habitantes.

Pode aprender conceitos como a gestão da dívida, o impacto dos impostos na satisfação dos habitantes, perceber a importância dos espaços de lazer, da indústria, do comércio.

Pena é que a parte da agricultura não faça (ainda) parte deste simulador. Pois sendo um sector tão importante seria de esperar a sua introdução.

CashFlow Game

Apesar de ainda não ter jogado este jogo, parece-me que talvez seja o melhor jogo para aprender finanças pessoais, pois o seu autor e criador é Robert Kirozaki tendo por isso bastante crédito. Robert Kirozaki  é autor do livro Pai Pobre, Pai Rico, a minha opinião  sobre este livro seguiu num dos emails da newsletter do investidor.pt. O livro debruça-se muito sobre o tema da independência financeira.

Basicamente existem 2 pistas onde se pode correr, a pista dos ratos, onde cai a maior parte das pessoas e a pista rápida do enriquecimento, onde circulam as pessoas ricas e as pessoas com conhecimentos financeiros. Aqui podem encontrar-se os maiores erros que cometemos na gestão dos nossos recursos, podendo deste modo, fugir deles na vida real.

A grande diferença face ao jogo do monopólio é que existe uma folha, da situação financeira aplicada ao jogo e às finanças pessoais. O que aproxima as finanças pessoais das finanças empresariais, pois ao que percebi não é mais do que a junção da demonstração de resultados de uma empresa e do balanço (foi explicado neste artigo: aspectos importantes no financiamento a empresas).

Sei que alguns leitores do blog costumam jogar este jogo, existe até um Club do jogo (Cashflow Club Leiria) e ainda o hei-de jogar :-)

Uma das coisas boas é que quanto mais se joga este tipo de jogos mais se aprende

As finanças pessoais são essenciais

Quer queiramos quer não, aprender a gerir os nossos recursos, fazer investimentos acertados e rentáveis, maximizando os nossos rendimentos é uma boa forma de pensarmos a questão das finanças pessoais. Pois se temos mais dinheiro, podemos satisfazer mais necessidades de consumo. Aquelas coisas que, não sendo essenciais, todos gostamos de fazer, ex: viagens, divertimentos, melhor vestuário, melhores meios de transporte ou a ida a bons restaurantes, cada um tem a sua lista :-)

Aprender às vezes é divertido :-)


Siga-nos também em Follow

Comentários

  1. teresa nunes diz:

    Os seus artigos são interessantes e esclarecedoras. Leio sempre com atenção.