Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Importância de um orçamento para as finanças pessoais

Ao contrário do que se possa pensar elaborar um orçamento para a economia familiar é bastante simples e consegue-se fazer em poucas horas, ajudando assim a tomar decisões na gestão do dinheiro das famílias.

Existem pessoas que o consideram inútil pois pensam que estão a seguir o caminho correcto na gestão das suas finanças pessoais. Podem estar ou não, pois o desconhecimento leva a conclusões erradas e desajustadas.

A importância da orçamentação

Só a visualização das contas domésticas, vertente despesa e rendimentos, permite obter uma clara visão de como será a evolução. O saldo da conta bancária não é estática, hoje pode ter-se muito e amanhã depois de debitarem as prestações pode ser pouco. Saber o valor das responsabilidades evita entrar em saldo negativo e funciona com retardador de compras, especialmente as supérfulas.

Se não se sabe quando consegue poupar, quanto gastou em vestuário, quanto gastou em energia, combustíveis,  pode ser sinal de folga orçamental, o dinheiro chega, por isso não me preocupo. Mas também pode ser sinal de problemas, pois se os rendimentos não cobrem as despesas, está-se numa situação financeira que leva ao sobre endividamento, onde se contaiem empréstimos para outros empréstimos.

A orçamentação permite controlar ao invés de ser controlado pelas disponibilidades

A parte mais fácil de qualquer orçamento, seja de finanças pessoais ou na viabilidade de um projecto de investimento, é sempre fácil estimar os custos fixos que teremos de suportar, assim sendo os maiores dilemas podem surgir nos custos variáveis , que na economia familiar podemos considerar despesas ocasionais e nos rendimentos obtidos. Os rendimentos que uma família aufere através de salários também são muito simples de calcular, já se tiver uma actividade independente, estes podem oscilar e criar alguma dificuldade.

Rubricas da despesas

  • Alimentação
  • Vestuário
  • Saúde
  • Electrodomésticos/tecnologia
  • Mobilidade (transportes, combustíveis,impostos)
  • Habitação (crédito, electricidade, água, gás, quotas condomínio, decoração, )
  • Impostos
  • Seguros (habitação, transportes, saúde)
  • Poupança para investimento
  • Cuidados pessoais (cabeleireiros, estética,
  • Lazer (actividades culturais, desportivas, etc)
  • Férias
  • Formação
  • Vícios (tabaco, jogo, etc)
  • Prendas e donativos
  • Extravagâncias

Poderão ocorrer ainda despesas ocasionais ou perdas financeiras através de menos valias. Também ocorrer crimes, como ser vitima de furto ou roubo que não esteja coberto pelos seguros.

Rubricas da receita

  • Salários
  • Subsídios
  • Prémios
  • Rendimentos de capitais
  • Dividendos
  • Donativos e prendas

Na rúbrica das receitas/rendimentos também podíamos acrescentar mais valias, contudo também podem surgir menos valias, sendo movimentos ocasionais, será difícil prever e quantifica-los. Podem ser uma acréscimo aos rendimentos em determinados anos.

Podemos facilmente visualizar que existem muito mais parcelas de despesa do que de receita.  Assim detalhando cada uma delas podemos analisar desperdícios, ou valores excessivamente elevados.

A forma mais fácil de elaborar o orçamento familiar

Listando as despesas mensais do último ano, é fácil prever as despesas do próximo, tal como na parte dos rendimentos. Aqui se excluem rendimentos ocasiões gerados por mais valias e outras alienações de património. Tal como as despesas imprevisíveis, a avaria de um electrodoméstico origina um despesa que pode não se estar a contar.

Programas gratuitos para gerir as finanças pessoais

Apesar de se poder fazer manualmente ou com recurso de um simples folha de calculo (Microsoft Excel) existem aplicações que facilitam gestão do dinheiro e das finanças pessoais, alguns até com sincronização com contas bancárias.

Alguns programas: MintBudgetpulse, Organizze,

Templates para o 0rçamento familiar gratuitos: Microsoft Excel : Aqui

A análise de indicadores pode ser complicada, mas também pode ser muito simples, nas contas domésticas é simples porque todas as parcelas são facilmente compreendidas, por exemplo quando se gasta por ano em vestuário, em alimentação, em energia, em férias, etc.

A subtração das despesas aos rendimentos deverá originar um número sempre positivo, caso contrário estão eminentes problemas financeiros

Só detectando valores anormais, ou elevados podemos corrigir estas despesas, se o consumo de electricidade é elevado, tem que se actuar de forma a reduzir o mesmo, tal como para as outras rúbricas, mas sem fazer uma análise pode nunca descobrir-se onde estão as despesas com excessivo peso no orçamento.


Siga-nos também em Follow

Comentários

  1. José Madrinha diz:

    É importante sem dúvida um orçamento familiar.

  2. Nuno diz:

    Olá José Madrinha
    Obrigado pelo seu comentário
    Votos de sucesso

  3. Guilherme diz:

    Obrigado por ter aceite a minha subscrição no seu espaço, espero vir a seguir alguns conselhos que depois irei pedir e aceitar de bom grado…uma vez que sou um novato nestas andanças.
    Concordo absolutamente com um orçamento familiar, pois nos dias que correm de hoje temos que ser nos proprios os nossos administradores……..e não nos deixarmos levar muitas vezes com o chamado marketing enganoso….

  4. dercia jonhane diz:

    Estou a me dar conta de coisas que eu não dava importância obrigada Nuno Casimiro es meu professor