Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Formas de investir dinheiro

nota de 20 eurosInvestir é rentabilizar os seus activos, sejam eles bens tangíveis ou intangíveis, pode investir dinheiro ou simplesmente tempo.  Pode-se investir em formação para saber mais ou pode-se perder tempo a estudar um negócio para implementar no futuro.

Podem fazer-se investimentos pessoais como dar atenção à família como pode investir-se na progressão da carreira para ganhar mais dinheiro e poder dar o melhor à família. O ideal é conseguir manter um equilíbrio entre todas as situações, diversificar os focos de atenção tal como nos investimentos.

Pode investir na sua formação ou num negócio.

Pode investir em produtos financeiros, tais como: depósitos a prazo, certificados de aforro, obrigações, acções, fundos de investimento, produtos estruturados, warants, futuros, opções, certificados e mais o que estão ainda para inventar.

Pode rentabilizar as suas poupanças em Certificados de Aforro, Títulos do Tesouro e Certificados do Tesouro. São apenas estes que têm o risco mais próximo do zero, todos os outros produtos têm um risco incorporado que por vezes não se vê. Um simples depósito a prazo está apenas garantido até 50.000 € pelo Banco de Portugal através do Fundo de Garantia de Depósitos, ora se o Banco onde tem o seu dinheiro for à falência (insolvência) ficará sem o que exceder esses 50.000 €.

Produtos financeiros em que se pode investir explicados resumidamente.

Certificados de Aforro e do Tesouro

Uma forma segura de investir as suas poupanças, os Certificados de Aforro têm um capitalização trimestral e prémio de permanencia que vai crescendo até aos 2%, os Certificados do Tesouro são das melhores aplicações a longo prazo atendendo ao nível de risco a que está exposto e estão disponiveís nos balcões do Correios.

Obrigações

As obrigações são dívida das empresas ou do Estado como as Obrigações do Tesouro. Ao comprar Obrigações está a fazer o papel de banco, ou seja a financiar a Economia, fazendo um empréstimo directo às instituições que as emitem.

Depósitos a Prazo

Os depósitos a prazo, não são mais do que a renúncia à liquidez do seu dinheiro, os juros podem ser capitalizados ou transferidos para a sua conta à ordem. Existem muitos horizontes temporais por onde escolher ou prazos para aplicação disponíveis. Um aspecto que pode ser importante é que é possível obter a independência financeira através de juros, tal como é demonstrado neste artigo.

Acções ou partes de capital

As acções são partes do capital de empresas cotadas em mercados que são vulgarmente conhecidos por bolsas de valores mobiliários. O investidor  fica dono de uma percentagem do capital social da empresa com os seus direitos e obrigações na medida das acções que adquire. Fica com o direito a receber parte dos lucros da empresa, os chamados dividendos. Tem alguns custos associados como a custódia de guarda de títulos e as comissões das transacções de bolsa. Investir na bolsa pode até ser realizado com capital garantido.

Fundos de investimento

Os fundos de investimento são um conjunto de acções de várias empresas e que são geridos por um profissionais estando a exposição no mercado accionista. O valor dos fundos reflecte o valor dos seus activos, acções da carteira. Uma boa forma de investir em múltiplas empresas com pouco capital.

Produtos Estruturados

Os produtos estruturados são cabazes de produtos, pode incluir: depósitos a prazo, obrigações, acções, exposição ao mercado cambial, exposição ao mercado das matérias primas, etc. Existem milhares de combinações. Muitas das vezes oferecem capital garantido no final do prazo da aplicação para que não se corra riscos.

Warants, futuros, opções e derivados

Este tipo de operações financeiras são bastante complexas, mas de uma forma sucinta apostamos na nossa perspectiva de futuro de uma forma alavancada, podendo dar ordens de compra ou venda. Este tipo de produtos pressupõe já um grau muito elevado de conhecimentos. A rendibilidade pode ser muito elevada tal como o risco que lhe está associado. Nunca é demais recordar que rendibilidades passadas não são garantia de rendibilidades futuras.

Para investir deve ter alguns conhecimentos, para não dizer muitos, para que não tenha prejuízo em vez dos ambicionados ganhos. Não se esqueça que a rentabilidade está sempre de mãos dadas com o risco, quanto maior for o risco maior será a rentabilidade esperada. Pode ganhar mas também pode perder!

Mas  se não se investir os bens ou património irá perder valor à taxa de inflação.


Siga-nos também em Follow

Comentários

Os comentários deste artigo estão fechados.