Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Estratégias para investir na bolsa: escolher as acções.

gráfico redondoInvestir na bolsa não é complicado e na verdade revela-se que nem é preciso muito conhecimento, se pensarmos em investir no longo prazo. No artigo passos para iniciar o investimento em acções pode conseguir algumas dicas de ajuda a este tema. Aqui a palavra chave será sempre investir em empresas com robustez financeira, como um negócio compreensível para além de ter capacidade de gerar lucros ou crescimento dos lucros.

Pensar no longo prazo

Quem investe no curto prazo deverá saber, como selecionar os títulos que quer investir e quais os objectivos que tem para esse investimento, o que se pode revelar difícil para o comum dos investidores ou pequenos investidores para além dos rendimentos se centrarem quase exclusivamente em mais valias. Assim a definição dos objectivos, para além da rendibilidade esperada, deve incidir principalmente na escolha dos títulos e na capacidade das empresas criarem valor ou distribuírem dividendos ao acionista ao longo do tempo, podendo assim usufruir das vantagens de investir no longo prazo.

Artigo de sobre o tipo de rendimentos : mais valias versus rendimentos constantes

Num abordagem conservadora, e porque a lógica ou matemática financeira nem sempre funciona, pois deveria ser indiferente para o acionista a empresa distribuir dividendos ou investir, poderá dizer-se que o ideal é investir em empresas que distribuem dividendos todos os anos, é uma lista bem reduzida na bolsa portuguesa.

O que diz quem sabe

O maior investidor do mundo, Warren Buffett defende que as empresas investem melhor que os investidores particulares, assim na empresa que veicula os seus investimentos (Berkshire) não distribui dividendos, criando valor para o acionista através da valorização das acções. Curiosamente, o mesmo Warren Buffett só investe em empresas que distribuem dividendos. O que também pode querer dizer muita coisa.

Dividendos: prós e contras

Os dividendos permitem usufruir de rendimentos constantes ao longo do período que se detêm as acções e as empresas façam essa distribuição. Contudo, a distribuição de dividendos é penalizadora para os investidores, pois é cobrado imposto sobre os mesmos para além dos custos e comissões inerente à operação de distribuição. Assim perde-se esse valor. Só numa economia sem impostos seria indiferente para o investidor.

Fiscalmente é até um pouco injusto os impostos que recaem sobre estes rendimentos, pois a empresa paga IRC sobre os lucros e os Investidores individuais pagam IRS. Por exemplo e considerando que considerando a taxa de IRC de 25% e IRS de 20% (actualmente 21,5%), de 1000 euros de lucro tributável, apenas 60% chega até ao investidor, ou seja 600€, os 400 vão para impostos sobre o rendimento. Pode ser considerado dupla tributação, pois sobre o mesmo rendimento recaem 2 impostos bem distintos.

Selecione apenas depois de estudar bem a empresa

Existem sempre muito cuidado a ter na escolha das empresas, pois já existiu no mercado situações bastante difíceis de digerir, pois as mentes brilhantes que estão por detrás das empresas empenham-se por vezes mais m cumprir os seus objectivos, do que os objectivos das empresas que gerem, assim há quem utilize capital alheio (endivida a empresa) para pagar dividendos e com isso impulsionar o valor das acções nesse ano, apesar de registar prejuízos! Toda a atenção é pouca a lidar com a engenharia financeira que é possível fazer para ludibriar os menos atentos.

Não vá em recomendações

Um dos maiores erros é seguir conselhos de analistas de mercado, pois por vezes e grande parte das suas recomendações têm segundas intenções, já que têm que defender os interesses das entidades para as quais prestam serviços. Um dos meus maiores erros no investimento em acções foi seguir uma dessas recomendações: A TOP PICK várias vezes eleita pelas casas de investimento: SONAE Indústria, tanto potencial de valorização, e a acção perdeu 5 ou 6 vezes o seu valor nos últimos anos!

Investir acarreta os seus riscos!

Desengane-se quem pense que é possível ganhar sempre nos mercados acionistas mesmo com imensa experiência nos mercados, pois o modo de actuação condiciona os resultados. Um pequeno investidor não necessita de acompanhar diariamente o seu portefólio de acções se investir com um horizonte temporal alargado, mais de 5 anos, contudo será quase impossível não ir vendo as variações da carteira de vez em quando.

Na selecção e comparação dos títulos deve-se ter sempre em conta que as empresas são bastante distintas umas das outras, apesar de por vezes queremos comparar o incomparável. Os indicadores não passam disso mesmo, sendo que analisar as demonstrações financeiras da empresa com atenção a par de acompanhar a estratégia e os movimentos da empresa é fundamental.

Depois de realizada a escolha dos títulos a comprar é só aguardar pelo preço certo, valor da acção a que se está disposto a pagar para entrar como acionista da empresa.


Siga-nos também em Follow

Comentários

Os comentários deste artigo estão fechados.