Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Esquemas para ganhar dinheiro e apanhar distraídos

ficar ricoTodos querem ganhar dinheiro, e quando mais fácil for, melhor. O grande problema é quando se ganha dinheiro a enganar outros não se pode dormir descansado e nunca se sabe quando virão os problemas. A imaginação é sempre fertil seja para o bem ou para o mal. A ética mora por vezes longe de certas estratégias para ganhar dinheiro.

A verdade é que a moralidade está afastada de certos negócios, alguns bem conhecidos e que conseguem transformar pessoas em autênticos milionários, só porque conseguiram enganar um número consideravel de pessoas. Pode-se até dinheiro tirando a persepção do real das valor das coisas.

Alguns exemplos das técnicas mais comuns para enganar os outros

Dobrando e enviando circulares

Este é um dos negócios mais engraçados e antigos, será que ainda alguém caie neste esquema! O negócio resume-se em captar pessoas que querem obter rendimentos a enviar cartas, dobrando circulares. E é isso mesmo que conseguem enviar cartas, já os rendimentos devem ser pequenos, e pagos em selos.

A técnica é muito simples, coloca anúncios em jornais, caixas de correio, e outros locais com a seguinte mensagem: quer ganhar dinheiro dobrando e enviando circulares? Mas informações para o telemóvel XXXXXX ou então peça informações para o apartado Y.

De seguida envia-se a tal circular com a argumentação da ideia de negócio e para ter acesso a toda a informação terá de dispender x em vales de correio ou em selos. Se enviar está a entrar no negócio, recebá então o esquema de como funciona: agora você está preparado para ganhar dinheiro com isto, fazendo precisamente o mesmo. Encontrar distraídos que querem ganhar dinheiro e fazer o mesmo. Pedir-lhes dinheiro para ensinar a encontrar mais dobradores de circulares.

Empréstimos para quem não tem garantias

Por vezes as pessoas mais desconcertadas com o dinheiro ou que caem em situações de desespero financeiro têm necessidade de recorrer a empréstimos sem fim. Chegando à altura em que as instituições financeiras já não financiam estas pessoas, tenta-se recorrer a estes ditos especialistas em conseguir empréstimos bancários.

A ideia é muito simples: “Eu tenho uma rede de contactos com bancários” isso facilitará a atribuição de crédito. Depois claro necessitam de algum dinheiro para despesas de processo. Pode ser 100, 250 ou 500€, a pessoa eludida acede a esta solicitação. Para credibilizar a coisa ainda terá provavelmente de preencher os formulários de 2 ou 3 bancos. Depois bem pode telefonar e telefonar, que o processo nunca chegará a lado nenhum. Diga adeus ao dinheiro do processo!

Marketing de rede

Os esquemas de pirâmide são comummente típicos do marketing de rede. O negócio tem muito de rede (são apanhados, quem está na base) e o marketing está no topo da pirâmide. Encontrar pessoas para integrar a rede é sempre sempre o mais complicado, o ideial é recrutar recrutadores. Pessoas que iram enganar outros, onde se ganhar comissões e percentagens do produtos mais incríveis. Vale tudo, o que interessa é vender. Alguns produtos utilizados no marketing de rede até são inovadores e úteis, são é vendidos por um valor muito acima do preço máximo razoável. Saiba mais em: Marketing de rede e multinível é de confiar?

Jogo da bolha ou da bola

O jogo da bolha teima em andar por aí de vez enquanto, é uma burla todo o tamanho, onde todos são burlões. Pois sabe-se perfeitamente como funciona. O exemplo inicial: com 1000 Euros pode entrar nesta corrente de dinheiro. 1000€ transformam-se em 5000€ muito facilmente, basta encontrar 5 novos depositários, e aqui acaba um ciclo. Essas 5 pessoas que entregaram 1000€ têm que recrutar mais 5, e ganharam o dinheiro angariado. E assim sucessivamente. As últimas pessoas a entrarem na roda, ficam sem o dinheiro que jogaram, algumas pessoas deverão até acabar por desistir depois de não conseguirem encontrarem novos membros.

O sabonete dentro da meia

A compra de telemóveis topo de gama a preços ridículos, também teve os seus dias áureos. Consistia no seguinte:  ser abordado sobre se pretendia ter um modelo topo de gama, pode ser o Iphone por um preço muito baixo, pode ser 100€. A pessoa pede para inspeccionar o aparelho e está tudo funcional, não está estragado. Depois entrega o telemóvel que há-de ser colocado dentro de uma meia, ou outra coisa qualquer. Como quase ninguém tem 100€ na carteira terá de fazer um levantamento no multibanco, ao fazer após efectuar o pagamento recebe a meia com um sabão lá dentro. Quando se apercebe já os vigaros estão longe.

Outros esquemas

Muitas pessoas vão ao barato e gostam de fazer compras no estrangeiro através da Internet. A importação de veículos assume uma fonte de riqueza para burlões que colocam viaturas à venda em vários países. O objectivo é ganhar dinheiro com as despesas de transporte dos veículos, estamos a falar de valores a rondar os mil Euros. Depois de acordado o preço da venda, por norma muito vantajoso, o pagamento total da viatura é feito no acto da entrega. O grande problema é que nunca chega nada! Depois bem pode enviar emails ou telefonar que nunca mais respondem. Outra técnica também é dizer que foi o feliz contemplado com uma herança, um prémio qualquer no exterior e para fazerem a transferência do dinheiro é preciso abrir uma conta ou então existe uma comissão qualquer inerente à operação. O dinheiro vai mas nada vem.

Em todos os esquemas se podem ganhar dinheiro e existem muito mais, a questão será sempre de ordem moral e ética. Mas existe sempre quem não se importe com isso, mas só caie nestes contos do vigário quem quer ou não os conhece!


Siga-nos também em Follow

Comentários

  1. Rui diz:

    Reportando-me à conclusão do seu artigo, devo referir que a questão não é só de ordem moral e ética. Em muitos destes casos é igualmente de ordem criminal.

  2. Nuno diz:

    Olá Rui

    Obrigado pelo comentário, de facto é criminalidade! MAs alguns negócios conseguem fugir a lei como as piramides de vendas, pois trata-se de uma actividade comercial legal, apesar de ser prejudicial para quem nelas entra.

    Cumprimentos Nuno