Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Como ganhar dinheiro com aumentos de capital em bolsa

visão para investirMuitos são os acontecimentos na bolsa com os quais se pode ganhar dinheiro, os aumentos de capital de empresas cotadas são uma dessas ocasiões. Sabendo que nada é garantido, pois se umas vezes se ganha, outras perde-se. Este artigo expõe uma técnica simples que tenho utilizado ao longo dos últimos anos para ganhar algum dinheiro na bolsa portuguesa. Como a última operação foi positiva, este é o momento certo para partilhar a dica. Provavelmente, esta é daquelas situações que não vêm nos livros de “como investir em acções“.

Existem diversos tipos de operações de capital, seja por incorporação de reservas ou por entrada de fundos. Nos aumentos de capital por entrada de fundos, o mais usual é ser reservada a accionistas, por isso importa possuir algumas acções da empresa que irá realizar a operação de aumento de capital para poder usufruir de alguns direitos.

Dependendo da operação em si, é possível ganhar dinheiro em todos os cenários, contudo, e como apenas invisto através da aquisição directa de acções, a perspectiva terá de ser de subida. Caso contrário, fico de fora e nem será possível ganhar dinheiro com o método que utilizo. Para ter essa perspectiva tem de se conhecer a empresa e estudar um pouco sobre a mesma, por forma a diminuir a probabilidade de errar.

Os momentos de um aumento de capital

  • Notícia ou informação de aumento de capital por parte da empresa
  • Data limite em que as acções são transaccionadas com direito a subscrever acções
  • Transacção de direitos de aquisição
  • Decisão (subscrição de acções, exercer direitos)
  • Atribuição das acções subscritas
  • Rateio das acções não subscritas pelos accionistas
  • Entrada das novas acções em bolsa
  • Ajustes técnicos

O momento destacado a negrito é o que nos interessa.

Nas operações de aumento de capital os accionistas são chamados a realizar um aumento do investimento, geralmente pela percentagem que possuem da empresa. Ora nem todos os accionistas, estão dispostos a reforçar o investimento. Assim, têm a possibilidade de vender os direitos de subscrição conferidos pelas suas acções. Mas os pequenos investidores por vezes, não emitem qualquer ordem, nem de venda dos direitos, nem aquisição de novas acções. Assim as acções que não são subscritas vão a rateio. Nos mercados financeiros nada se perde tudo muda de mãos. Onde uns perdem outros ganham.

O rateio é uma operação de distribuição de acções. Muito similar às operações de entrada em bolsa de novas empresas. Existem acções disponíveis e existem ordens de aquisição.

Imaginemos que existe 100.000 acções disponíveis para rateio, cabe a cada um a sua percentagem de procura. Se a procura for em torno de 1 milhão, significa que cada subscritor terá 10% do número de acções que pediu.

Dar a ordem de compra

Na banca tradicional, por vezes será necessário ir a uma agência da instituição bancária onde se tem a carteira de acções subscrever as acções. Nas instituições focadas no canal internet, poderá ser tudo realizado online.

No formulário para exercer os direitos (pelas acções que temos) existe um espaço para ordens de aquisição de acções não subscritas. E vamos utilizá-lo para dar a ordem de compra de acções não subscritas. O número de acções a pedir, terá de ter em conta a procura e as perspectivas para o título, pois o ajuste técnico das acções nem sempre acontece de forma linear.

Atenção não é compra de direitos, pois por vezes os colaboradores bancários estão a leste deste tipo de operações.

O ganho da operação deverá ser em torno do valor dos direitos multiplicado pelo número de acções que se consegue.

Exemplo ilustrativo

A acção de uma empresa está cotada a 1€, o preço das novas acções é de 0,5€. Se o aumento de capital duplicar o número de acções, o direitos de preferência da aquisição seriam de 0,25€. Pois o valor de ajuste da acção após a operação seria de 0,75€ (1+0,5):2. Isto se os mercados fossem eficientes.

Se para o exemplo descrito conseguíssemos comprar 1000 acções através de rateio, e para as quais não detinha direitos, os ganhos seriam 1000 vezes a diferença entre o valor de ajuste e o preço de compra(menos comissões da operação) (0,75 -0,5)x1000 =250€. Ou seja 50% do investimento em apenas alguns dias ;-)

Num mundo perfeito, onde a cotação reflete o valor (algo que é muito difícil) seria possível tirar vantagens destes movimentos. Contudo a realidade não é esta, pois o ajuste técnico pode ser favorável ou desfavorável. Se o valor da acção cair para valores inferiores ao preço de subscrição é perda certa. Em teoria, esta desvalorização deveria ser um acontecimento esporádico, no entanto, na prática, acontece com alguma frequência.

Mais do que a análise técnica, a visão pode ser utilizada nestes casos.

Ganhar 50% na bolsa em poucos dias até é fácil.


Siga-nos também em Follow

Comentários

  1. mario costa diz:

    artigo interessante

  2. Graca silva diz:

    O seu comentário ajudou-me a esclarecer alguns pontos e contas que a CMVM nem o banco me explicaram no caso das contas por exemplo o seu artigo e muito bom