Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Certificados de Aforro versus Certificados do Tesouro

A comparação de produtos financeiros de investimento requere sempre muita atenção, pois os objectivos financeiros devem ser analisados face às características dos produtos. Qualquer um destes produtos fazem parte do dito financiamento do Estado, ou seja a dívida pública. Apesar dos bilhetes d tesouro também serem um instrumento de financiamento do País, não é muito utilizado pela maioria das pessoas particulares pela sua maturidade, menos de um ano.

Notação de risco

O rating das agência de notação financeira é o valor que avalia a capacidade da entidade cumprir as suas responsabilidades de crédito, se a entidade avaliada tem um a nota boa a taxa de renumeração do capital é baixa, já que não existe practicamente perigo de incumprimento. Se a avaliação for negativa, evidênciando um risco superior, onde existe uma forte probabilidade de incumprimento, ficando os obrigacionistas ou investidores em risco de não reaver o capital investidor, a taxa de remuneração tende a ser mais elevada. Seguindo a velha máxima: + risco + rendibilidade potencial.

Mas qual é o risco de Portugal

Isso é difícil de prever, eu acredito qua não haverá problemas de maior, contudo e como aconteceu no passado em países que entraram em default ou incumprimento existem soluções que minimizam as consequências, uma delas é mudarem a forma como funcionam estes produtos. Por exemplo as obrigações da dívida inglesa, são diferentes das nossas, utilizam as rendas perpetuas, ou seja o dinheiro investido (desaparece) e fica-se detentor do rendimento desse valor para sempre (renda vitalícia), o que é indiferente do ponto de vista financeiro. Depois pode-se transacionar no mercado secundário essas obrigações, onde o seu valor oscila pelo rendimento que é possível obter, taxa de juro associada à aplicação.

Rentabilidade versus risco

É de conhecimento geral que a rendibilidade está associada ao risco, contudo este 2 produtos tem como risco a República Portuguesa, então onde está o diferença para as taxas de renumeração serem tão diferentes? Penso que só os mais distraídos ainda possuem Certificados de Aforro, pois a remuneração dos Certificados do Tesouro é bastante superior. Como podemos tirar essas conclusões através do quadro demonstrativo das diferenças entre ambos os produtos:

Descrição Certificados de aforro Certificados do tesouro
Renumeração Capitalização dos juros Distribuição dos juros
Periodo de contagem trimestral Anual
Prémio permanência 2% 0%
Taxa máxima 2,72% 7,10%
Disponibilidade Imediata Imediata
Penalizações Perda de juros Perda de juros
Taxa de juro base 1,533% + prémio de perm. 2,10%
Anos seguintes Indexada à Euribor 5 anos 6,8%; 10 anos 7,10%

Os Certificados do Tesouro apresentam uma taxa de renumeração difícil de bater no mercado, contando com a disponibilidade imediata do capital em caso de necessidade (com a perda dos juros corridos). Dada a imprevisibilidade da situação económica nacional e mundial, não é recomendável colocar todas as poupanças num único produto, pois nunca se sabe o que para aí vem. Investir na dívida de Portugal pode ser bastante rentável para além de estarmos a investir no nosso país, retirando pressão pressão sobre o mesmo.

Maturidade – Prazo da aplicação

Para a maioria das pessoas a rentabilização das suas poupanças através deste produtos tem um horizonte temporal do investimento a pensar no longo prazo (+ 5 anos), como podemos verificar através do quadro comparativo, as diferenças na rentabilidade são elevadas (quase 3 vezes mais). Mas mesmo que se pense no mínimo a 1 ano, os CT são os mais apetecíveis, apenas em maturidades inferiores a 1 ano os Certificados de Aforro são a melhor opção. Poderá dizer-se que os Certificados do Tesouro são a melhor forma de investir na dívida soberana.

Não querendo recomendar nada a ninguém, cabe-me apenas informar ou dar a minha opinião pessoal, penso que transformar os Certificados de Aforro em Certificados do Tesouro pode ser uma decisão acertada do ponto de vista financeiro, pois aumenta a rendibilidade potencial para um mesmo nível de risco associado. Claro está que no mundo que muda à velocidade da luz, nada melhor do que estar consciênte dos riscos que se enfrentam, o artigo como proteger o seu dinheiro pode dar algumas dicas para quem anda mais preocupado com o que vai acontecer.


Siga-nos também em Follow

Comentários

Os comentários deste artigo estão fechados.