Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Casos de sucesso, o que podemos aprender com eles

sapatos portuguesesExistem inúmeros casos de sucesso que me fazem olhar cada vez com mais esperança para os negócios empresariais nos vários sectores de actividade. Os que requerem menor investimento são os que mais me satisfazem, mas como tudo na vida, existem para todos os gostos.

Um dos factores que devemos sempre analisar em qualquer negócios são os factores críticos de sucesso na indústria, que não são mais do que o que realmente interessa possuir para poder sobreviver e estar presente nessa área de actividade.

Ora assim e antes de abordar o tema temos de analisar a área de negócio e identificar o factor que faz a diferença perante a concorrência, seja directa ou indirecta.

Quando analisamos a estratégia de um empresa devemos ter sempre em mente, que é a estratégia que define practicamente todo o negócio.

Como vimos já neste artigo, a estratégia é o factor determinante, muita para lá do Marketing, quem estabelece o preço de um serviço ou o  preço de um bem, é a direcção e os gestores/gerentes/administradores, apesar de poderem ser aconselhados pelo departamento de Marketing. Tudo isto para dizer que quem controla as variáveis internas à empresa é quem manda.

Benchmarking

Benchmarking é o nome dado à técnica de copiar subtilmente as melhores prácticas da concorrência. Ou seja faz-se uma análise exaustiva da concorrência e depois de avaliar os factores que acrescentam valor ou são simplesmente ideias geniais, adoptam-se na nossa empresa. Até aqui nada de novo, só o nome, pois copiar negócios é uma práctica secular!

Os maus exemplos

O caso que todos conhecemos é o dos cafés e restaurantes, quando iniciam actividade numa determinada localização vem logo alguém estabelecer-se ao lado, roubar a clientela e afundar os 2 negócios, pois as margens de lucro caem de forma vincada. Existem naturalmente excepções, como por  exemplo uma nova urbanização, mas pode sempre manter-se uma certa distância. Existe um mínimo de bom senso, até para não criar atritos que vão para além do razoável. A concorrência pode ser saudável.

Os casos de sucesso

A FlyLondon, marca portuguesa de sucesso na indústria do calçado, conforme foi referida no artigo das empresas de sucesso em Portugal, fez furor com o seu design arrojado, qualidade superior dos materiais utilizados provocando o desejo do seu público em adquirir os seus artigos (sapatos para senhoras). O sucesso foi/é tal que já existem cadeias de grande dimensão a copiar os seus modelos, entrando num conflito judicial para a empresa. Técnica errada!

Quem é que olhou para o sucesso da FlyLondon com a visão necessária para retirar e utilizar a sua vantagem competitiva? A Made In, empresa proprietária da marca Cubanas, pertencente a 2 empreendedores portugueses.

Mas afinal o que eles viram que os/outros industriais do calçado não viram: o segredo do negócio é o design, os materiais de qualidade e o Marketing associado ao produto.

Porque é de louvar esta iniciativa empresarial, é que mesmo partido das mesmas variáveis estratégicas, combatem no mercado global, e aí mesmo que houvesse mais 10 marcas portuguesas (os chamados clusters), a conquista de quota de mercado mundial fortalecia o design português de calçado, as exportações, etc. Era bom.

Indústria do calçado

Portugal era/é conhecido pela indústria do calçado pelas razões erradas, o baixo custo dos factores de produção isso poderá estar a ser ultrapassado pela implantação de novas posturas no negócio. Espero apenas que não caíam no erro comum e que vitimou uma outra empresa portuguesa de calçado que estava já a ser um case study. A Aerosoles caiu apenas num erro a meu ver, dimensionou a rede de distribuição de forma inadequada, tentou massificar e deu-se mal. Tudo porque a estratégia foi baseada na frieza dos números, exemplo: média de vendas por loja, ora se tiver o dobro das lojas vendo o dobro! Errado.

Muito mais há a dizer sobre estes aspectos que condicionam o sucesso de uma iniciativa empresarial, mas voltarei a estes assuntos noutros artigos onde irei analisar o modelo de negócio destes empreendedores ou referindo-os como exemplo a seguir. Como a importância de ter uma marca e um outro sobre o processo ou molde do negócio implementado onde a cadeia de produção desempenha um factor crucial.


Siga-nos também em Follow

Comentários

  1. Sérgio Oliveira diz:

    Acho que antes de escrever qualquer artigo deveria-se fazer primeiro uma pesquisa sob o tema. A FlyLondon grande marca sim senhor.. A quem pertence? Kyaia.. Sim senhor.. Quem é o Gerente da Kyaia? O presidente da APPICAPS. Ups.. Qual foi a fábrica de calçado que mais evoluiu nos últimos anos? Porque será? O negócio e investimento é uma área fantástica mas o que muita gente não sabe é os trafulhas que andam por trás deles a estragar a vida a toda a gente….

  2. Nuno diz:

    Olá Sérgio Oliveira
    Obrigado pelo seu comentário
    Se quiser esclarecer melhor o seu ponto de vista, agradeço, pois não o percebo.

    O artigo baseou-se na minha visão sobre o mercado, relatando os casos que conheço, do que não conheço não falo. O objectivo era evidênciar os pontos positivos e como podemos aprender com eles, pois saltam à vista de todos.

    Não tenho particular interesse no sector do calçado. Uma coisa é a produção, outra é o marketing dos produtos!

    Quem disse que o mundo dos negócios é justo?

    Votos de sucesso
    Nuno