Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Balanço do final de ano

Fazer um balanço das contas do ano anterior e analisar o que foi efectuado no ano que termina é um bom ponto de partida para elaborar um novo mapa de objectivos para o próximo ano.

Fazer um pequena análise dos ganhos e gastos do último ano podemos encontrar oportunidades tanto para poupar dinheiro, bem como para reforçar investimentos que foram um boa fonte de geração de capital. Nunca é demais relembrar que sem análise de números difícilmente é possível detectar valores anormais de gasto ou receita.

Fontes de despesa = gastos

Por exemplo, as despesas relacionadas com um automóvel podem ascender a vários milhares, contando com impostos, combustivéis reparações. Isso fará repensar a propiedade de várias viaturas na mesma residência ou agregado familiar.

Temos de considerar as principais rúbricas de um orçamento familiar e onde se pode poupar de alguma forma:

  • Gastos com transporte
  • Gastos com a alimentação
  • Gastos com a educação
  • Gastos com vestuário
  • Gastos com seguros
  • Gastos com a habitação
  • Gastos pessoais
  • Outros gastos

Um pequeno esforço na poupança pode traduzir-se na utilização de forma mais eficaz do dinheiro que se possui. Nunca podemos esquecer que é a poupança (nada apetecível) que faz com que o património aumente por via dos investimentos que essa poupança proporciona. A utilização racional das coisas permite muitas das vezes viver com a mesma qualidade de vida.

Fontes de rendimento = Receitas

No que diz respeito às fontes de rendimento, é bom sinal estas apresentarem-se diversificadas, para poder ultrapassar diferentes conjunturas, assim obter rendimentos variados e analisar os que possuem melhores rendibilidades para se possa ajustar a carteira de activos de forma a potenciar ou aumentar os rendimentos no ano seguinte.

  • Rendimentos provenientes do Trabalho
  • Rendimentos de capitais
  • Rendimentos empresariais
  • Rendimentos imobiliários
  • Mais valias e menos valias realizadas

Diversificar as fontes de rendimento é procurar maior estabilidade financeira para o futuro, nunca é demais recordar que existem rendimentos constantes e rendimentos sazonais. Para atingir a independência financeira são utilizados produtos de investimento que proporcionam rendimentos constantes, para fazer face às despesas de sobrevivência ou comuns.

Finanças pessoais equilibradas

O truque para possuir as finanças pessoais equilibradas ou enriquecer passa quase sempre por reduzir os gastos e aumentar as fontes de rendimento. Assim criar um orçamento para as finanças pessoais é uma boa ideia para fazer o controlo das despesa. Uma outra boa ideia será elaborar um mapa de fluxos de capital ou mapa de entradas e saídas de dinheiro em investimentos em aplicações de capital. Assim permite antecipar e conhecer as responsabilidades futuras bem como os rendimentos a obter no futuro de forma mais nítida.

A informação é um bem precioso pois permite planear e tomar medidas para corrigir eventuais falhas ou potenciar algo que seja satisfatório, aumentando as possibilidades de ganhar mais. Um orçamento das finanças domésticas indica se se está a viver dentro das possibilidades financeiras, este orçamento ajuda a preparar e constituir uma fundo de emergência financeiro e por último este documento permite controlar o dinheiro ao invés de ser o dinheiro a comandar as acções e comportamentos.


Siga-nos também em Follow

Comentários

Os comentários deste artigo estão fechados.