Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Análise de ideias. Da ideia ao negócio

Todas as ideias podem ter valor mas se não forem postas em prática não passam disso mesmo, ideias, pensamentos e por isso nada valem.  A criatividade é uma capacidade do ser humano, todos temos ideias, encontrar soluções para problemas é por vezes onde está mais visível esta capacidade.

O grande problema das ideias é que nem todas funcionam, por vezes são más ideias (não se pode dizer isto) outras estão fora de tempo, ou seja é uma ideia genial, mas ninguém lhe encontrará utilidade neste momento.

As ideias são soluções de problemas.

Pode ser um problema de comunicação, as empresas necessitam de comunicar logo é por que têm um problema, precisam de mais clientes. Na Era da industrialização não era necessário fazer publicidade, pois as fábricas não conseguiam fabricar o suficiente para satisfazer a procura mas agora pode ser o factor diferenciador. Genericamente as melhores ideias de comunicação fazem vender mais produtos.

A chuva era uma problema pois molhava as pessoas, surge a ideia: invenção do chapeu de chuva. Uma pequena ideia resolveu um grande problema.

Técnicas para a criação de ideias

A criatividade é uma disciplina que estuda o fenómeno, dotando as pessoas das ferramentas certas para explorar a sua capacidade inventiva, assim é comum fazer vários exercícios para potenciar esta faceta de cada um de nós pois todos têm esta capacidade pode é estar mais ou menos desenvolvida.

As técnicas de geração de ideias mais comuns são:

  • Brainstorming (geração de ideias aleatórias, a mais conhecida)
  • Random word (palavra aleatória, a minha técnica preferida)
  • Fraccionamento (geração de alternativas)
  • Metodo da inversão ( olhar pelo lado oposto do problema. Inverter o problema)

É claro que existem também as ideias expontâneas que surgem quando menos esperamos.

A única forma de avaliar ideias é através da comparação. De um leque de por exemplo 10 escolher uma, com base em vários ponderadores: originalidade, exequibilidade, investimento, implantação e possibilidades de sucesso.

Transformar uma ideia num negócio

Nem todas as ideias são passíveis de ser convertidas em negócios. E mesmo as que são podem não ser rentáveis. Investir 1 milhão para depois produzir 100.000 de resultados não é mínimamente viável.

Colocar uma ideia de negócio em prática pode ser a realização de uma sonho, nunca se sabe de onde vai surgir uma ideia milionária, se por acaso tem alguma proteja-se. É mesmo por essa razão que existem as patentes e registo de marcas através dos quais pode assegurar os seus direitos caso a ideia ainda não esteja registada.

Para colocar uma ideia milionária em prática, defenda-se não revelando todas as nuances e conceitos que podem estar envolvidos na mesma, até para evitar que algum “chico-esperto” a utilize antes do autor da mesma. Temos aqui já uma pequena bolsa de ideias para negócios, e serão muito mais no futuro. Umas originais outras nem tanto.

Existem ideias de negócio que requerem um investimento tão baixo que não há razão para não as colocar em prática.

Pessoalmente, se for presenteado com A IDEIA, vou avançar com toda a força. Mas como tenho uma imaginação bastante fértil, ainda estou à espera da melhor!

Para credibilizar uma ideia é necessário elaborar um plano de negócios para que possa ser visualizada a viabilidade por parte de potencionais investidores. Elaborar uma boa fundamentação com a explicação detalhada da ideia e como irá funcionar e os resultados que se esperam.

Para finalizar, o que costumo responder aos meus amigos quando me questionam o que eu acho sobre determindada ideia de negócio: penhoravas a tua casa para a pôr em prática?


Siga-nos também em Follow

Comentários

  1. Por que registrar?
    Generalizando, há dois tipos de empresários: aqueles que não vislumbram a necessidade do registro e aqueles que vislumbram a necessidade do registro, porém não percebem a sua real dimensão. Os primeiros não estão no todo equivocado, pois se sua marca tem “valor” menor do que o custo para o encaminhamento do registro não há porque se falar nele. Do contrário, desenvolver e promover uma marca sem registro é o mesmo que construir um castelo em área irregular.

    Existem, também, empresários que vislumbram a necessidade do registro de sua marca ou patente, porém os entendem somente pelo viés do medo ou da segurança, sempre em relação à proteção contra terceiros. Essa visão é demasiadamente pequena para o que representa os direitos de propriedade industrial para os negócios de qualquer empresa.

    A imaterialidade da propriedade industrial é fruto de atividade intelectual humana e seu resultado, marcas ou patentes, são considerados bens móveis para o nosso direito, ou seja, integram o patrimônio do titular, apresentando um caráter econômico, de fundo de comércio, podendo ser locada, cedida, emprestada, vendida, dada como garantia bancária e utilizados como formador de capital social de qualquer empresa.

    Se sobre o ponto de vista do consumidor a marca constitui uma garantia de legitimidade e de origem, para os interesses dos titulares isto é secundário, a marca deve atender seus interesses privados, tanto de proteção quanto econômico. Além de que o direito de propriedade industrial é alicerçado no sistema atributivo, ou seja, “quem primeiro registra”; porém, sua exceção é o sistema declarativo, estipulando o direito de precedência para o usuário anterior de boa fé. Destarte, o investimento para com o simples encaminhamento do registro é infinitamente menor do que o dispêndio para “brigar” caso sua marca seja registrada por terceiro.

    Em suma, por estas razões se faz necessário todo e qualquer registro de marcas e patentes, seja pelo ponto de vista do custo e benefício, pela proteção conferida ou mesmo pelo caráter econômico que só se alcança com o registro.

    A forma mais segura é contratar um profissional legalmente habilitado para verificar a disponibilidade da marca pretendida através da pesquisa no banco de marcas; com tal informação é possível nortear a decisão de encaminhar o pedido de registro e acompanhar o tramite administrativo do processo marcário.

    A maneira mais segura e prática de proteger sua marca.

    Anderson Leal.

    • Nuno diz:

      Olá Anderson Leal

      Obrigado pela sua participação.
      Concordo completamente consigo. É muito importante o registo da Marca.
      Moderei o seu comentário , cortando a parte publicitária. Coloquei um link para o seu site, através do seu nome.
      Cumprimento

  2. constanttino oliveira diz:

    ola boas queria apenas um conseilho se é possivel ,eu tenho uma edeia que posso transformar em projeto para o futuro com poupar agua sem mudar os velhos abitos queria saber com devo fazer para resistar esta edeia e se devo fazer um projeto para apresentar como patente
    uma casa pode poupar até 60% de agua. espero uma resposta

  3. Gustavo diz:

    Bom dia,
    Queria saber a visão de vocês,por que nem todas as ideias viram produtos ou negócios?
    Obrigado.