Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

A primeira aplicação financeira. Investidor Júnior

As finanças pessoais para os mais jovens desenrolam-se em vários domínios, poupar para acumular, gerir os recursos e posteriormente o investimento. Investir é o ponto onde se tenta multiplicar o dinheiro com as poupanças reunidas.

Assim é importante os jovens perceberem que o dinheiro pode produzir dinheiro, aliás este conceito está por detrás das estratégias de investimento que levam à independência financeira.

Preparar o primeiro investimento

Quanto maior for a informação adquirida maiores serão as alternativas de investimento. Assim antes de efectuar um investimento fazer uma pesquisa é sempre fundamental. Mas o mais importante será ser o jovem a fazer essa pesquisa, e apresentar aos progenitores as 3 opções que considera mais apetecíveis. Para efectuar esta pesquisa, nada melhor do que indicar os sites da instituições financeiras onde pode fazer essa recolha. Após este exercício deve analisar-se:

  • Tipo de investimento
  • Maturidade do investimento
  • Taxa de rendibilidade
  • Risco do investimento

Provavelmente a primeira aplicação financeira aconselhada e que será mais fácil de perceber para os juniores do investimento são as aplicações a prazo. É importante perceber como funciona o investimento, para motivar a sua execução.

Depósito a prazo

Com o excesso de liquidez (carteira cheia de dinheiro) surge também a primeira oportunidade de investimento. Dependendo da idade pode conhecer-se o perfil de risco do jovem, contudo este estará ainda muito colado aos perfis das pessoas que o rodeiam. Na maioria das vezes é provável que a primeira aplicação financeira seja um depósito a prazo. O que pode ser uma boa descoberta, ver o poder dos juros fazer crescer as suas poupanças. Será uma boa oportunidade para ver o dinheiro gerar dinheiro, com a vantagem de não haver perda de capital, o que poderia ser uma experiência traumática.

Explicar a noção de risco versus rentabilidade é muito importante.

Mais risco = mais rendibilidade (potencial).

Fundos de investimento

Os fundos de investimento, de certa forma, podem ser vistos como uma alternativa aos depósitos a prazo, contudo existe aqui uma noção diferente, mais arrojada. Existem fundos de investimento com pouco risco, por exemplo os de tesouraria ou até os de obrigações e poderão ser um bom primeiro investimento para adolescentes. A leitura do prospecto informativo do produtos é sempre aconselhável e pode sempre aprender com essa leitura.

Se se arrisca mais pode ganhar-se mais, mas por vezes também se pode perder o que se investiu.  Ao ser mais moderado ganha potencialmente menos, mas o risco de perder também é menor. Aplicar o dinheiro através de um depósito a prazo é completamente diferente de investir em acções.

Quando se poupa consegue-se acumular algumas quantias que posteriormente têm de ser geridas ou aplicadas. Na aplicação pode ter em conta atingir um objectivo ou o objectivo pode ser pura e simplesmente acumular riqueza. Também se pode poupar para uma eventual necessidade, nunca se sabe o dia de amanhã. O mais recomendado é poupar para determinado fim, possuir um objectivo pensasse que motiva a poupança.

Ensinar através do exemplo

Uma ideia que fica é que se por vezes é difícil para os pais seguirem as orientações da prosperidade económica, potenciando o equilíbrio financeiro das suas vidas para o futuro, ainda é mais difícil para os jovens compreender e gerir o dinheiro. Não esquecer que os jovens copiam os adultos portanto ensinar as crianças e os jovens através do exemplo é sempre o caminho que apresenta melhores resultados. A história do faz o que eu digo não faças o que eu faço não é fácil aplicar em mentes que estão preparadas para replicar o que vêm à sua volta.


Siga-nos também em Follow

Comentários

Os comentários deste artigo estão fechados.